GANDHI E A LEI DO AMOR

Publicado em Young Índia, em 1º de outubro de 1931, Mohandas Gandhi afirma que  –  “ Se a humanidade seguirá conscientemente a lei do amor, não sei. Mas isso não precisa nos perturbar. A lei funcionará, assim como a lei da gravidade funciona quer a aceitemos, quer não. E assim como um cientista produzirá maravilhas a partir de várias aplicações das leis da natureza, da mesma forma um homem que aplique a lei do amor com precisão científica pode produzir maravilhas ainda maiores.” A lei do amor é intrínseca da natureza humana. Somos filhos do cuidado. O ser humano só consegue ultrapassar a infância se houver alguém que o cuide. O nascimento, como o envelhecimento, precisam do acolhimento. As idades intermediárias também, pois é da natureza humana a necessidade de ser acolhido pelo outro humano e se relacionar com ele. A vida não se faz sozinha. No isolamento não há vida, não há brotação. O humano precisa do outro humano. Dependemos do outro, do carinho, do reconhecimento, da confiança do outro para sobreviver. Nesta relação de mútua dependência e entrega, o amor é a “cola”, a “liga”. O amor é a amalgama da relação humana. Quanto mais pudermos viver em pensamento, palavra e ação, como dizia Gandhi, a nossa amorosidade generosa, solidária, cálida, compreensiva, mais salutar será a nossa vida, pois o amor é a lei e é através do amor que a vida pode circular na sua infinita capilaridade. O que nos falta é acreditar e acessar. Sempre que o amor se faz presente, a vida se fertiliza e brota. Como é bom estar ao lado de uma pessoa gentil e amorosa!!!!

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *