FACES DO DESEJO

Quando refletimos sobre o desejo, os desejos e o desejar, é fundamental considerar  algumas  faces bem evidentes do desejo: o desejo biológico, o desejo da vontade altruísta e o desejo egoísta. Sob a ótica biológica, desejamos água quando estamos com sede, comida quando reconhecemos a fome, sono e descanso, são alguns desejos vinculados ao atendimento das necessidades básicas de um organismo vivo, que uma vez atendido, este organismo volta à sua homeostase. Os desejos altruístas vinculados às aspirações éticas movidas pela vontade de um aprimoramento pessoal, relacional, espiritual, fazem parte da face luminosa do desejo de ser feliz com a felicidade de todos os outros seres viventes. O grande obstáculo para o aprimoramento da criatura humana, causador de sofrimento de todas as ordens são os desejos egoístas, da permanente insatisfatoriedade e fonte de sofrimento para si e para todos os outros. As obsessões e os vícios são desejos egoístas do desequilíbrio humano, na busca do prazer a qualquer custo. São os desejos egoístas que assombram o coração humano e que, teimamos em escondê-los da nossa consciência. São eles ambíguos e enganadores, que se apresentam através das máscaras que disfarçam as sabotagens da lógica racional. Querer e poder se aproximar do desejo, para reconhecê-los e de forma honesta poder fazer escolhas, já evidencia um grande avanço de uma consciência que se disponibiliza a percorrer o caminho da verdadeira felicidade. O sofrimento do ser humano está diretamente vinculado ao círculo vicioso dos desejos egoístas e o caminho da realização da verdadeira felicidade, está vinculado a uma atitude comprometida com a responsabilidade de uma consciência que se percebe como integrante e integrada ao processo da “grande consciência”.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *