ÉTICA – EXPERIÊNCIA DE VIDA

A base de um agir ético, tem sua raiz numa experiência subjetiva movida por uma emoção. O que faz um sujeito ser ético não é propriamente o seu entendimento racional mas, a qualidade de seu emocionar ao dizer “sim” ou “não” frente a uma determinada situação do viver pessoal ou social. Conceitos , tratados, teorias que embasam o arcabouço teórico da ética, nunca serão suficientes para fazer uma pessoa ser ética, agir com ética, optar por uma conduta ética e reconhecer um dilema ético. São emoções e emocionares que impulsionam e nutrem o agir ético. A moral como a política, também se alinham a partir do conjunto de emoções e experiências vividas por uma pessoa. A moral política e a moral do político, também pode se fundamentar em conceitos e tratados apresentados por filósofos e pensadores ao longo da história mas, é o emocionar que fará um político ser moral e ético. Sempre será a conduta pessoal, o conjunto de agires e pensares, o meio, a formação interior, as experiências subjetivas vividas que irão determinar um sujeito ético, ou não ético. Neste sentido, é possível pensar que um sujeito ético se faz e se constrói a partir do conjunto de emoções vividas em seus ambientes. Pergunta: que qualidade de ambientes temos oferecido às nossas crianças e jovens? Se queremos uma sociedade ética com cidadãos éticos, precisamos começar sendo éticos em nossas casas, nossas escolas, nos lugares onde vivemos, convivemos e nos emocionamos com nossas crianças e jovens. A responsabilidade é pessoal.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *