ESFERA DE PRESENÇA

O reconhecimento dos acontecimentos sociais, pessoais, suas consequências e desdobramentos, requer uma qualidade de presença, um olhar ampliado de percepção para reconhecer as novas linguagens e encontrar novas formas de pensar e agir.Definir políticas culturais, exige uma ampliação da esfera de presença das pessoas que se disponibilizam a contribuir de modo inovador e visionário, para edificar futuros mais salutares em todos os eixos relacionais, sejam eles públicos ou privados, no âmbito pessoal ou grupal.Uma presença de ser que tenha a qualidade de pensar e refletir, perguntar, problematizar e não apenas “copiar e colar”, ou representar nas aparências marqueteiras. Agir segundo escolhas pessoais refletidas, e optar por não agir de acordo com modelos oferecidos pela grande mídia, que serve apenas aos interesses e conveniências de modelos que se mostram completamente esgotados, é uma motivação decisória.O que implica em saber ler as novas mensagens e linguagens dos grupos de jovens que evidenciam o esgotamento dos modelos convencionais e exclusivistas, clamando por inclusão e reconhecimento da dignidade humana. Alimentar uma esfera de presença qualitativa requer flexibilização, conhecimento reflexivo, experiência na esperança, humildade para a busca, coragem determinada e amorosa. Os acontecimentos são reveladores dos novos “valores” sociais que estão emergindo por toda parte, para os quais não podemos fechar nossos olhos, rigidificando nossa forma de pensar em normatizações que já não fazem mais sentido nesta pós-modernidade. Atenção, permeabilidade, conectividade, vitalidade e coragem, são ingredientes fundamentais para o cultivo de uma esfera de presença, que se articule com as novas linguagens para encontrar “junto”, nesta dinâmica, novas adequações sociais que protejam a vida e a dignidade de todos e de cada um.

Abraços  ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *