EMPODERAR PARA TRANSFORMAR

 

Na cultura do instantâneo, do descartável e da superficialidade, o que se deseja é resultado imediato, na velocidade dos desejos capitalistas do mercado. Acontece que, no mundo natural não há árvore que cresce sem raízes. Na arquitetura, não há edifício que se sustente desprovido de alicerce. Sem a solidez da base não há como crescer, maturar, reproduzir para transformar, esta é uma lei natural.

Para transformar e mudar, é preciso primeiro empoderar. É o empoderamento que impulsiona a mudança. Sem auto-confiança, auto-estima elevada, apropriação das forças internas para acionar o potencial disponível pela própria natureza viva da vida, através da consciência, do conhecimento experimentado e praticado, não há como se pensar em mudança. Primeiro a raiz, depois o fruto, é a ordem natural. Esta dinâmica é válida tanto para o indivíduo como para o coletivo.

O organismo é um só. O coletivo é um organismo constituído pelos indivíduos que o compõe. Qualquer mudança para ser efetuada e sustentada é preciso primeiro empoderar, oferecer autonomia, autoregulação, autogestação e tanto faz se este AUTO é constituído por uma só pessoa ou por um grupo de pessoas humanas, em qualquer cultura ou comunidade.

Ocorre que, o empoderamento não é instantâneo, ele é construído conjuntamente, afinal ninguém existe isolado neste mundo. Empoderar, requer  tempo e espaço disponível, precisa de ritmo, continuidade, organização, confiança, liberdade e segurança, vividos muscularmente, organicamente  e não  nos discursos e retóricas profecias. Para transformar é preciso empoderar.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *