EDUCAR PARA TER OU PARA SER ?

Um sistema educacional cujo objetivo é habilitar o aluno para ter bens e adquirir coisas, títulos, empregos, informações, técnicas, é uma instituição que está a serviço de um modelo social que serve a uma determinada classe social. Com um pouco de bom senso é possível verificar que, a tal classe só pode ser a dominante, aquela que dita “as regras do jogo” e, portanto, centralizada nas mãos de poucos. Mas, afinal o que é um sistema educacional senão um sistema que visa a educar seus alunos. Neste sentido, educar é formar pessoas que possam SER verdadeiramente pessoas humanizadas ou técnicos que se contentam em TER, seja uma profissão ou bens de consumo? Formar para ser ou habilitar para ter? Octávio Paz afirma: “Uma crise política é sempre uma crise moral”. Talvez seja esta a crise que estamos vivendo no mundo globalizado, uma crise de valores, onde o ser está sendo subjugado pelo ter. Neste sentido, o papel da educação é fundamental, pois é ela e será ela que tem a possibilidade de transformação, de fazer valer os valores universais, de formar sujeitos que pensam e saibam refletir, sujeitos com autonomia, autodeterminados, responsáveis e cooperativos. É a educação que pode garantir direitos, inclusive o direito à cultura, à poesia, à música, à dança, às artes em todas as suas expressões. Mas aqui, precisamos de educadores e não técnicos de informação ou burocratas. O verdadeiro educador é aquele que se compromete com os valores humanos e tem a coragem de sustentá-los em todos os espaços. Será que as nossas universidades estão realmente formando estes educadores?
Abraços ****
Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *