EDUCAÇÃO HUMANIZANTE

 

Parece mais um paradoxo, pois não consigo entender a educação desvinculada da humanização. Educar implica humanizar. Dito de outra forma, a educação deveria ser a expressão da humanidade do humano, em todos os níveis, seja ela formal ou informal. A Educação Humanizante, tem aparecido como uma necessidade social frente à desumanização do ser humano, que tem gerado como resposta a violência. Onde tudo é lucro, é resultado imediato, onde as nossas escolas mais se parecem com galpões de depósito de pessoas, com salas de aula numerosas, sem espaços livres para a circulação de pessoas e de ideias, onde os programas são formatados de fora para dentro, onde todos são cobrados e medidos por resultados numéricos, algo parece estar sem encaixe! Se a educação tem transformado pessoas em objetos, exigindo respostas contabilizadas numericamente e o controle é absoluto, as respostas só podem ser desumanizantes, desagregadoras e hostis. Reverter este cenário, talvez seja mais que necessário, seja urgente. Ocorre que, não é possível gerar mudanças no instantâneo, embora que até o desejássemos. Então, para se oferecer uma educação humanizante e humanizadora, será preciso primeiro formar gestores humanizados. Aqui, o tempo é crucial. Durante os últimos 50 anos a tendência metodológica foi colocar o cognitivo acima do temporal, desconsiderando o fator tempo e a inventividade, as estruturas acima da potencialidade. Construir processos pedagógicos  humanizadores , gerar ambientes horizontalizantes, confiáveis e inclusivos, para restaurar a humanidade da educação e na educação, é mais que um desafio, é questão de honra. Honrar a criança, o  adolescente, o jovem, na sua plena humanidade, é honrar e hospedar com gentileza a vida.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *