É POSSÍVEL VER O QUE ESTÁ OCULTO?

O mistério sempre foi fascinante para o ser humano, em todos os tempos da história humana. As Escolas de Mistérios, na Grécia antiga, é um dos exemplos, onde pessoas se reuniam para tentar entender o que a lógica  do pensamento racional, não conseguia explicar. O oculto sempre aguçou a curiosidade humana, numa contínua busca  por explicações. Até os dias de hoje este anseio se faz presente na psique humana. Os mitos, as narrativas, as histórias contadas por todas as culturas e grupos humanos, falam deste oculto que se revela através de símbolos, sinais que a mente humana muitas vezes não consegue acessar. Na ânsia por grandes explicações, o humano não consegue ver o que está oculto sob o manto da simplicidade. Nas coisas mais simples do cotidiano da vida em comunidade, a agitação distraída impede o humano de ver, de enxergar, de ter uma visão ampliada. ” Os aspectos mais importantes para nós são ocultos por causa de sua banalidade e de sua simplicidade” (Wittgenstein). Prestar atenção ao simplesmente humano, ao que pode ser visto no dia-a-dia do estar-junto, nas ruas, nas artes, na arquitetura, nas cores, nas formas, nas linguagens, nas expressões dos relacionamentos, no transitar das pessoas em seus deslocamentos, nas músicas, nos ritmos, na poesia, nos prazeres menores, nos lugares  comuns e nos tempos presentes da vida em comunidade, é fundamental para compreendermos o que está oculto, querendo ser revelado. Há algo em trânsito, pedindo passagem para se manifestar, mas é preciso abrir os olhos, pausar, ampliar a percepção, deixar que a intuição se aproxime da revelação.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *