DÚVIDA DA CAPACIDADE DE MUDANÇA

Embora que já tenhamos conquistado grandes avanços nas diversas áreas do conhecimento, incluindo as tecnologias e as neurociências referente à capacidade de transformação e mudanças neuronais, ainda guardamos em nossas memórias culturais as dúvidas sobre a capacidade de mudança do ser humano, tanto no plano individual como coletivo. Precisamos enquanto comunidade global, em todas as direções e instâncias do saber e do fazer humano, incentivar ações que permitam as pessoas acreditarem na capacidade pessoal de transformação, apesar de todos os obstáculos culturais e ideológicos, inseridos nos discursos e estimulados por uma mídia aproveitadora e conveniente. O que mantém a submissão do humano, é a dúvida sobre a sua capacidade de mudar as coisas, a sua capacidade como sujeito de fazer mudanças pessoais e relacionais. Lembrando o filósofo Jacques Rancière, “… as pessoas não estão trancadas em um destino social que ditaria seus pensamentos, gostos, aparências ou suas aspirações.” Uma grandiosa contribuição dos  educadores seria disponibilizar os meios emancipatórios para que as pessoas não se submetam a uma crença que as incapacite de mudar as coisas, mas, oferecer os recursos para que todo ser humano possa viver com plenitude o potencial da vida.

Abraços    ****

Vivi

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *