DISTANCIAMENTO CRÍTICO

O contemporâneo nos fez mergulhar em uma sociedade, como um verdadeiro “mar” de hiperestimulação auditiva e visual, informativa e imagética, onde o tempo perde o seu tempo pelo imediatismo na velocidade do instantâneo. Se não houver o cultivo de um distanciamento crítico, para reflexão e vigilância, nossa existência tende ao naufrágio. Uma tarefa que revela-se difícil, porém, necessária. Uma pessoa desprovida de uma vida interior de sensibilidade, facilmente será capturada pelos “cantos destas sereias”. Como Ulisses, talvez tenhamos que nos “amarrar” em nossos mastros, permitindo no isolamento do silêncio, uma distância pedagógica e nutridora que preserve a nossa autonomia existencial.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *