DESARMADO DE PALAVRAS

O ser humano é um ser de “palavra”, uma palavra que comunica, que traduz ideias, pensamentos e se conecta com o mundo. A palavra ou as palavras, trazem em si mesmas o dom de aproximar, conectar, vincular mas, também trazem consigo a possibilidade de afastar e distanciar. Assim como os animais, os seres humanos preferem as palavras cordiais e gentis, pois elas aproximam e constroem elos afetivos e confiantes que se traduzem em segurança, acolhimento, legitimação e reconhecimento. Quando as palavras se traduzem em preconceitos, esterótipos ou intenções convenientes, as chamadas “segundas intenções”, elas perdem o seu valor maior, que é a conexão com a vida e com tudo o que vive. Aqui, as palavras se armam para uma guerra!  Os autoritarismos, as dominações que subjugam, ameaçam e intimidam, são as palavras armadas, as palavras bélicas, carregadas de ressentimentos e medo. Quando o coração se desarma, a mente pode ser tranquila e determinada e assim, as palavras podem se libertar dos medos e da ignorância. Palavras aprisionadas pelos medos, contaminam o corpo, a alma e tudo que está em sua volta. A maior coragem, é se desapegar da belicosidade das palavras. Palavras bélicas, são como escudos atras dos quais o ignorante se esconde. Nos Escritos Básicos Chuang Tzu ou Mestre Chuang afirmava: “Onde encontrarei um homem que tenha esquecido as palavras, para que possa trocar com ele uma palavra?”

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *