CUIDADO COM O GRANDE DEMAIS

Em tempos de “MEGA” investimentos, empresas e corporações, a busca  do gigantismo a qualquer custo, estar atento aos excessos é sempre recomendável. Projetos arquitetônicos que constroem edifícios cada vez mais altos, os tais arranha-céus, dentro da concorrência globalizada, afeta de forma imperceptível as  subjetividades e os corpos, que se robotizam a serviço do sistema capitalista. Quando a expressão é “grande demais para quebrar” dentro das organizações e instituições financeiras, considerar os riscos é algo impensável, afinal nestes meios, o que importa é ser grande e o maior sempre. Estar atento para não ficar refém desta forma nociva, que parece ser inovadora, mas, na realidade é altamente competitiva e predatória, requer cuidado e atenção permanente, pois os discursos hipnotizantes são feitos para gerar a ilusão de poder e felicidade. Ultrapassar os limites caindo no excessivo pode ser um “mau negócio” para quem adota estas práticas. Comer demais, beber demais, fumar demais, trabalhar demais, fazer sexo demais, festar demais, exercitar-se demais, dormir demais, ficar acordado demais…. sempre trará resultados catastróficos à saúde física, mental, relacional e espiritual. A palavra é comedimento. Ser comedido, nada em demasia, diria o grego antigo. Cuidado com o “grande demais para quebrar”, pois quando menos percebemos, quebramos. Portanto, atenção!

Abraços   ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *