CORPOS ESPREMIDOS

A força da gravidade exerce uma ação sobre os corpos humanos que buscam a postura ereta. Esta é uma “luta” permanente que os seres humanos “enfrentam”, como desafio permanente para se sustentarem em pé e em movimento. O andar, sentar, levantar, carregar um objeto, se deslocar no espaço, são todos movimentos gestuais da natureza humana, dos corpos vivos nos ambientes. Ao mesmo tempo este humano tem por desafio gerenciar-se nas suas emoções e pensamentos, que atuam diretamente no seu sistema músculo-esqueletal, no seu sistema locomotor, no seu sistema neuromotor. Todas estas forças, ou jogos de pressão, em conjunto com o sistema de resposta reflexa, atuante sobre os corpos vivos, faz com que este humano tenha que encontrar caminhos e selecione formas somáticas para sobreviver em seu meio, pois a força da vida é contínua. A vida quer passar. Sendo assim, conforme as histórias pessoais, os ambientes, a cultura, a qualidade dos relacionamentos, cada ser humano vai se construindo e “esculpindo” seu corpo ao longo de uma existência. Algumas pessoas incham, tendem ao adensamento, outras se comprimem e se espremem dentro de seus corpos, comprimindo-se de cima para baixo ou de fora para dentro, ou seja, da camada externa para a camada interna, ou o vice-versa, construindo diferentes formas que interferem diretamente na organização postural, com grandes comprometimentos no funcionamento orgânico e psíquico. Diagnosticar estas diferentes formas é um desafio terapêutico. A boa notícia é que por ser um corpo vivo, dotado de consciência e plasticidade sempre haverá possibilidades de mudanças, desde que a pessoa em questão queira. Mudar é possível sempre, pois o vivo está em constante processo de mudança, fazendo corpo na dinâmica da vida, mas tudo é uma questão de querer e aprender.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *