CLAMAR PELA VIDA

Dentro do processo evolutivo, a natureza dotou o ser humano da capacidade de se proteger das situações ameaçadoras da vida, equipando-o com dispositivos que viabilizam a sua capacidade de se organizar, selecionar e decidir. Diante da imensidão assustadora do espaço e do tempo e das ameaças dos predadores e das alterações ambientais, o cérebro humano, experimentou os medos. Esta forte emoção que nos acompanha até os dias atuais, obstaculiza em muitas situações a nossa capacidade de criar, de inovar e de clamar pela vida. As auto-repressões, em grande parte advém dos nossos medos de experimentar nossas emoções na exaltação da vida. Deixar de viver a exuberância grandiosa da vida é se aprisionar nas falsas armaduras dos medos que constroem cenários inexistentes na realidade. Clamar pela vida, é ter a coragem e a sabedoria de abandonar os medos mentais para dar espaços para a criatividade. É através deste fluxo de vitalidade que podemos nos conectar com o melhor e o maior que a vida nos oferece, algo que já está, já nos foi dado, basta apenas querer acessar a nossa felicidade genuína e o amor incondicional.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *