CIÊNCIA COM EXPERIÊNCIA

Produzir conhecimento se faz com a pessoa humana na sua experiência pessoal, com o seu meio ambiente e com o conhecimento disponível. Entende-se que, no que se refere ao ser humano, seria impossível separar ou desconsiderar a relação, conhecimento e experiência. Aqui nasce um desafio para a ciência. Se a ciência se pretende a conhecer como ocorre o processo cognitivo no sujeito em questão, é impossível a separação. Então, dentro de uma ótica linear, como mensurar a experiência, se cada pessoa vive uma mesma situação de forma diferente. Sabemos que um mesmo estímulo, afeta diferentemente cada sujeito em questão. As ciências da mente, conhecidas por alguns como ciências cognitivas, têm por desafio encontrar os meios para verificar como uma mesma proposta é experienciada, vivida, processada por pessoas que são diferentes. Não existe uma só pessoa igual, a outra neste mundo. Como fazer o controle do processo? Para a ciência ocidental este é um procedimento que se revela desafiante. Para as tradições orientais, no caso mais específico, dentro das tradições Budistas, este olhar é diferenciado, pois eles consideram o grau de Atenção sobre a experiência nas Práticas Meditativas. Entendem a cognição como uma ação incorporada. O elo a ser estabelecido na ciência ocidental entre cognição e experiência humana, é algo que está em processamento. O tempo dirá …..
Abraços ****
Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *