BEM-VIVER OU SOBREVIVER

Dentre tantas escolhas a serem feitas ao longo de uma existência,  viver uma vida com qualidade é uma delas. Uma vida que tenha sentido e significado, é uma escolha consciente que depende do cultivo de um estado de atenção. Uma pessoa que se preocupa em bem-viver, preservando relações de convivência salutares, procura manter um estado atencional onde a atenção é profunda e o ritmo do viver pode sustentar espaços de pausa para refletir e contemplar. Uma atenção dispersa é rasa, pois a distração hiperexita estando permanentemente deslocada em excessivas fontes de informação, em constante mudança de foco nas  diversas atividades e exigências pessoais. Num estado excitário, não há como desfrutar de um estado existencial vívido e pleno, onde a contemplação possa ser criativa e a vida possa ser encantadora. A excitação excessiva não permite o reconhecimento do belo. O processo criativo inclui a tolerância, a paciência, um olhar mais abrangente no próprio viver. Bem-viver, não significa viver-bem.  Nem sempre aqueles que  “vivem-bem” podem desfrutar de um bem-viver, pois estão aprisionados apenas nas preocupações do sobreviver, gastando suas energias em comer e não ser comido pela competição predatória, pelo egoísmo da irresponsabilidade e pela ignorância da não compreensão. Bem-viver uma vida que tenha sentido e significado, é preservar um estado de atenção focado na compreensão amorosa de si, do outro, do mundo. Preservar um estado interior onde o sono traga o descanso físico mas também e sobretudo, o descanso espiritual.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *