ATITUDES DE VALOR

Muitas são as vozes que falam em crise: estamos em crise! … a crise econômica, a crise política … Ocorre que, o contemporâneo tem mostrado que milhares de pessoas não aceitam mais o sofrimento e a injustiça, como sendo uma vontade dos céus ou o resultado das leis econômicas. Os problemas globais da pobreza, da superpopulação, da devastação do meio ambiente, evidenciam concretamente e a cada dia, os modelos econômicos inadequados e práticas de políticas que ao longos dos últimos séculos tem desvalorizado o capital humano. A economia pós-industrial trouxe dinheiro,mercado, equipamentos supercomputadorizados, mas, negligenciou a dignidade do humano como sendo a “meta” mais importante. Não se atribuiu valor ao cuidado de nossas crianças, à assistência aos nossos jovens, à nossa família humana, ao trabalho do humano de forma justa, digna e respeitosa, para uma vida significativa, criativa e dignificante. Então, por que? Voltamos ao ponto fundamental: questão de valor. O que temos valorizado e o que temos desvalorizado? Os valores estão nas atitudes, nos pensamentos, nas narrativas, nas ações, gestos que realizamos e não percebemos. Quando conferimos valor à solidadriedade, a atitude solidária em nossa vida ganha corpo, se corporifica em nossas escolhas e decisões que fazemos no viver diário. O macro nada mais é que o o reflexo do micro. Enquanto não incorporarmos os valores que valorizam a vida, pessoal, social, ecológica, econômica, em nosso viver e tendo a consciência do quanto os valores afetam a vida humana no presente e no futuro de nossos filhos, não teremos condições de mudar este cenário que temos vivido e sofrido neste contemporâneo. Toda grande mudança depende das grande-pequenas mudanças em nossas atitudes, afinal, atitude também é valor.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *