ARGUMENTOS FALACIOSOS

Uma mente ardilosa, sempre encontra desculpas e mais desculpas para esmolar reconhecimento, esconder covardias, encobrir e disfarçar egoismos. Muitos são os provérbios na linguagem coloquial que servem para legitmar covardes e narcisistas. Quando se trata de assumir responsabilidades, ser cooperativo, ser gentil e minimamente educado e polido, colaborar com o grupo a que fazemos parte e com o outro ao nosso lado do qual dependemos sempre, afinal estamos todos interligados, as desculpas aparecem em primeiro plano e com alto grau de convencimento: ” tudo bem… mas, eu não sou Madre Tereza de Calcutá”,  “…aqui não é casa de caridade …” , “…cada um por si e Deus por todos…” São todas expressões para justificar preguiças ignorantes. São argumentos falaciosos para refugio de uma vida egoísta. ” Ver os narcisistas como “mendigos do ego” que pedem esmolas para serem reconhecidos, para que lhes dêmos razão.” Esta é uma afirmação de Christophe André, médico psiquiatra, pioneiro na introdução da meditação na psicoterapia, que ressalta a importância de estarmos atentos para não nos deixarmos cair nas armadilhas de um ego infalizado e estimulado na linguagem popular, para justificar o não compromisso com uma vida altruísta.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *