AFETO SEGURO

Desde o nascimento o bebê necessita do afeto da mãe, do pai, da família estendida em tios, avós, vizinhos, necessita inclusive do afeto do ambiente. A qualidade das relações que se estabelecem desde o nascimento e ao longo dos primeiros meses e anos para uma criança, deixam um “imprinting” de memória para toda uma vida. Cuidar do bebê, cuidar afetivamente da criança e da mãe, é cuidar de uma comunidade, é questão de saúde pública. Desde os 10 meses uma criança tem por sua natureza, uma relação de apego seguro que lhe permite se aproximar do adulto no sorrir, no balbuciar, nos gestos, para aprender a se comunicar. É quando a criança começa a aprender a se socializar, procurando as bases seguras do afeto. Porém, há crianças que se mantém distantes, evita o contato, estas terão dificuldades no relacionar-se, inclusive na aprendizagem da fala. Crianças negligenciadas em ambientes hostis, são privadas da aprendizagem de um afeto seguro, privadas da experiência do vínculo seguro. Crianças cujos pais infligem maus-tratos, manifestam um estilo de apego inseguro. São as famílias esfaceladas pela infelicidade, pela miséria moral da violência doméstica, pela exclusão. Estas crianças tendem ao isolamento, construindo em si as bases da insegurança em relação a si mesmas e ao outro. Contudo, quando se oferece uma vinculação afetiva segura, através de ações que venham a agir no espaço afetivo, apoiando a mãe ou os cuidadores, a criança tem a chance de se restituir e se fortificar em seus contatos, daí a importância do “nicho” sensorial e do efeito protetor das famílias em seus múltiplos vínculos. As informações estruturadas pelo mundo mental dos pais e cuidadores, estimulam o cérebro da criança reverberando na sua maneira de sorrir, de manipular, de brincar, de falar. A vontade de aproximação nas relações favorece vínculos afetivos duráveis, seguros e estimulantes. Cuidar do afeto é cuidar da vida, que vai muito além das políticas públicas, é uma questão moral, de compromisso com a vida do hoje e das futuras gerações, um compromisso com a família humana. A vida nutre e se nutre do Amor!

Abraços    ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *