A TERRA NA TERRA

Durante longos períodos da história humana, o pensamento salvacionista marcou o processo civilizatório, trazendo um existir direcionado para o céu. Um “Deus” distante, que seria acessível apenas no céu, após a morte e que somente “Ele” poderia salvar o humano de suas máculas vindas do nascimento. Esta foi uma cartografia pautada pela lógica oposicionista, contrapondo céu e inferno, ou seja, a vida humana como dependente de um céu ou de um inferno.O processo evolutivo da consciência humana, começa a apresentar no contemporâneo, um humano que não está nem no céu, nem no inferno mas, na terra, é o humano que vive a terra na terra. Aqui emerge uma nova sensibilidade, um novo paradigma, com uma nova linguagem, é o humano potente, que pode se reconhecer na sua corporeidade, um corpo vivo e presente no presente do seu viver. Aqui nasce uma real contemplação do mundo.

Abraços    ****

Vivi

Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *