A REDE VEM PARA A PAUTA

Quando se trata de mudança de comportamento, mudança de hábitos e atitudes vem junto nesta esteira reflexiva, a mudança de paradigma. Fazer uma mudança parece simples, mas sabemos que atitudes enraizadas culturalmente na contingência dos ambientes e dos modos de ser e estar neste mundo, depende de um conjunto equalizado de ações para implantar outras formas de manejo. Com total evidência já é um fato concreto que, “combater a violência com mais violência” não tem se mostrado uma via adequada. Então, o que fazer? Como agir? Indivíduo e coletivo precisam ser “tratados” conjuntamente. Aqui, a rede é decisiva. Não poderá haver mudança na forma de agir frente à violência, primeiro se não reconhecemos a violência. A violência muitas vezes está encoberta por falsos discursos, promessas inatingíveis, idealizações que geram mais violência, porém maquiada nas falsas aparências. Somente a rede, o grupo articulado, discernindo os jogos de poder penetrados nos disfarces de saberes, poderá descortinar a realidade para ser reconhecida. Daqui para frente, é possível encontrar os meios adequados. Aprender a agir, articular, manejar-se em rede, que também é uma mudança, pois ainda somos pouco aptos para trabalhar cooperativamente.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *