A CORAGEM DO “NÃO”

Dizer “não” parece fácil e simples. Tirando os egoístas e os convenientes, reconhecer quando os limites são ultrapassados, reconhecer quando uma situação vai interferir sobre um estado interno de dignidade e respeito, reconhecer quando uma proposta vai comprometer a ética do bem comum, requer coragem. Respeitar os valores humanos e o valor da vida diante de um mundo onde o “levar vantagem” vai à frente, exige coragem, firme determinação, dignidade, resistência pacífica. O poder detentor do capital, do lucro a qualquer custo, não reconhece o valor dos cidadãos que pensam e refletem. Onde há consciência crítica, não há espaço para um “faz-de-conta”, fingimentos, jogos de sedução, convencimentos, banalidades. “Não” quando “não” e “sim” quando “sim”, é uma postura de quem tem internalizado e incorporado como princípio de vida, a ética do bem comum. Dizer “não” diante do “mal feito” precisa de muita coragem.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *