A ARTE NO HUMANO

Nada que é humano foge da Arte. A arte é o abrigo, o terreno onde o ser humano constrói sua casa, a casa do seu SER. A expressão artística seja ela através da música, da poesia, da literatura, da pintura, da dança, do canto, do desenho,… é a expressão da voz da “alma” humana. Uma voz de humanidade, que se diz ao longo da história humana. Privar a pessoa humana da arte, é privá-la da vida, é subtrair seu pulso vital. Quando um governo impede o seu cidadão de expressar a sua arte e a sua cultura, ele retira suas raízes, sua história evolutiva e rouba a sua liberdade. Todo sistema de controle é uma forma de abortar a vida humana, é quando o dominador subjuga a “alma” de seus cidadãos. Aqui começa a escravidão, a humilhação. A arte é também a expressão de cidadania. Ela oferece o espaço de voz. Quando este espaço é retirado, cala-se a voz e retira-se a liberdade e a dignidade humana. A “alma” do artista fala através do silêncio criativo e fecundo. Todo ser humano é artista da sua vida. Ele cria e recria, constrói, dá significado, renova, amplia a percepção porque consegue ver além da razão e da lógica. O artista de si mesmo, que habita verdadeiramente seu corpo e sua alma é pleno de si, pleno de sua humanidade, da história comum numa terra comum, numa linguagem comum. O artista de si traz no seu silêncio vigor e coragem, na capacidade de tocar “as almas silenciosas e ainda não despertas de si”. O artista de si é capaz de acordar inquietações, é capaz de alegrar e encantar, quando conecta e experimenta algo que sabe que está vivendo, mas, não consegue explicar, apenas sentir e viver. O artista de si, é o artista de todas as pessoas que tem a coragem de serem o que são: um ser humano digno de respeito.
Abraços ****
Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *