EM QUE ABISMO ESTAMOS NOS METENDO?

Há quem diga que o humano apesar de todo o seu conhecimento acumulado, de toda a sua tecnologia e avanços científicos em todas as áreas do saber, parece que está diante de um grande abismo civilizatório. Seria a exaustão de um modelo racional que não consegue mais dar conta das incríveis demandas criadas pela enorme crise da racionalidade? Onde chegamos ???? Quais escolhas estamos alimentando? Somos todos responsáveis!

Abraços   ****

Vivi

 

DESEQUILÍBRIOS …

A instabilidade climática, a exaustão dos recursos naturais, a insustentabilidade social, a desigualdade econômica, o descaso em relação à vida, são evidências de que a vida perdeu seu valor. Para onde os humanos estão se dirigindo? Viver para quê?

Abraços   ****

Vivi

A SABEDORIA DO HUMANO

A cultura que privilegiou a razão e a lógica esqueceu de incluir o paradoxal, o contraditório. A pessoa humana comporta o racional e o sensível. Sabedoria é saber conjugar a razão com a sensibilidade, o corpo e a alma, e com sabedoria saber viver o mais íntimo do humano que é a sua espiritualidade.  A conexão espiritual de uma consciência mantém sempre ativa o pensar e o afetar, o concreto e o sensível, o ponderável e o imponderável, e pode dizer o indizível.

Abraços   ****

Vivi

EXERCÍCIO ESPIRITUAL

A espiritualidade se nutre de um permanente estado de atenção. Praticar a vida espiritual como um exercício espiritual, é viver a plenitude da liberdade consciente da vida humana. Ser livre é ser fiel à verdade interior no silêncio da sabedoria.

Abraços   ****

Vivi

 

TERCEIRIZANDO A VIDA

Quando a vida escapada de nossas mãos e precisamos terceirizar o manejo do nosso ser, algo indica que somos desconhecidos em nossa própria casa. Quando a vida é terceirizada a vida perde o valor. Quando eu já não sou capaz de saber de mim mesmo e não me reconheço como um ser integral, ficando na dependência de outrem, é sinal de que a minha vida está perdendo o sentido.

Abraços   ****

Vivi

 

 

 

RECIPROCIDADE

Se tivéssemos que escolher uma palavra para as pessoas pensarem e agirem em tempos tão desafiantes como este, qual seria a palavra? A palavra mais adequada sem dúvida seria: RECIPROCIDADE ! A vida segue, se mantém e existe através das relações de reciprocidade. As árvores como os animais, inclusive os animais selvagens, tem na reciprocidade a base do viver. São as relações de troca, de vínculo, de trânsito informacional e afetivo, que mantém e alimentam as todas as  relações. A natureza viva depende de relações recíprocas, dos canais por onde trafegam informações, sentimentos, afetos, saberes …

Abraços   ****

Vivi

 

VALOR DA VIDA

Se a vida é um valor, ter ações que preservem a vida seria um caminho natural. Contudo, não é exatamente o que temos presenciado neste período da modernidade ou pós modernidade. Diante da instabilidade climática, da desconsideração dos  fluxos da natureza, dos perigos da sofisticação da violência, o valor da vida tem sido completamente negligenciado. Onde este humano, com toda a sua ciência, toda a sua racionalidade pretende chegar?

Abraços   ****

Vivi

AINDA O GESTO

Um gesto é a expressão de um agir, de um conhecer. A fluência gestual, livre e criativa enriquece a consciência e alimenta a alma humana. Na dança, o gesto criativo, é impulsionado pelo movimento que o potencializa. Quando a energia vital propulsiona um movimento criativo, toda a energia mental, emocional e física se manifesta numa experiência de ser um “ser integral” e único neste universo. A consciência de si é ampliada na experiência de um gesto consciente e criativo. A experiência da liberdade pode ser acessada quando a vontade consciente si mesma, escolhe ser livre em sua gestualidade.

Abraços   ****

Vivi

O CORPO

O corpo humano, vivo e vivido é uma experiência sensório-motora. É uma história pessoal e coletiva, é uma biologia e uma sociologia. Pensar a pessoa humana, é pensar uma unidade sensório-motora, que tem uma história, uma consciência e que se constrói nos acontecimentos vividos. Habitar um corpo, é habitar uma territorialidade corpórea viva numa contínua interlocução com um tempo histórico. Desabitar um corpo, é negar a si mesmo nos contextos pessoais e coletivos. A valorização de “Si” perpassa pela valorização, pelo cuidado, pelo respeito, pelo carinho a seu próprio corpo.

Abraços   ****

Vivi

 

O GESTO

O gesto é o movimento de expressão de um “Si mesmo”. Gesto é movimento.  A gestualidade humana pode dizer o indizível do ser. As restrições culturais que incidem sobre a gestualidade, reprimindo e limitando sua expressão e seus movimentos, restringem e tolhem a inteligência e os sentimentos. Os gestos são os mensageiros da alma humana. Reprimir a gestualidade é reprimir o mais íntimo e o mais profundo de uma pessoa humana viva.

Abraços   ****

Vivi