RACISMO

O racismo é uma expressão da violência. É quando o opressor afirma a sua superioridade destruindo, humilhando e desumanizando o outro, seja este outro um indígena, um africano, uma mulher, um LGBT mais, ou tudo isto numa só pessoa. Pergunta indiscreta: existe um racista dentro mim?

Abraços  ****

Vivi

O PODER …

O Poder que é exercido sobre outrem, com a finalidade de controle, necessita de corpos tristes, como diria o filósofo, pensador e escritor G. Deleuze, Corpos felizes e alegres, cheios de energia, são impossíveis de serem controlados.

Abraços   ****

Vivi

CONHECER E COMPREENDER

Nem sempre a pessoa “culta”, que se diz conhecedora do mundo e do conhecimento, não consegue compreender a Si mesma, ao outro e os acontecimentos. Compreender é diferente de conhecer. A compreensão pressupõe uma disponibilidade para ampliar a percepção, ampliar o sentido do viver em relação. Pressupõe pausas, silêncios para receber os “devires” do acontecimento, no presente vivido. Conhecer é diferente de compreender. Às vezes conhecemos mas somos ignorantes de compreensão.

Abraços   ****

Vivi

JULGAMENTO

Parece que desde o berço somos treinados a comparar e julgar. Imersos neste hábito mental, aprendemos a estabelecer relações que orbitam entre uma vítima e um culpado. O julgamento nesta habituação moral e cultural, tem criado muitos transtornos em nossa vida psíquica. Para julgar um outro tivemos que aprender a julgar a nós mesmos e estamos com frequência apontando um dedo para nós mesmos e por vezes, apontando um dedo para outrem, na busca de um culpado. Sair deste vício cultural moralizante, requer um esforço da vontade de ativar nossas alegrias ativas de discernimento, de coragem, que elevam a nossa potência por uma escolha ética. É cultivar afetos alegres que potencializam a nossa vida e o nosso viver.

Abraços   ****

Vivi

UMA PERGUNTA FUNDAMENTAL …

Por que a Paz? Por que queremos e desejamos a Paz? Por que queremos a Paz mas fazemos a “guerra”? Por que fazemos o “mal feito” a outrem, mas queremos e desejamos o bem, a verdade e a justiça? Por que insistimos em fazer discursos moralistas mas agimos através das formas mais virulentas possíveis, sejam   expressões concretas e evidentes seja através de expressões dissimuladas ou complacentes? Pense nisto!!! Ingenuidade ou mal caráter?

Abraços   ****

Vivi

EDUCAR

Educar não é transferir conhecimento, mas é criar espaços de oportunidade para que o conhecimento possa ser produzido. Educar não é adestrar, nem tão pouco, informar conceitos ou conteúdos daquele que se diz detentor de um conhecimento, sobre aquele que é considerado como não portador de conhecimento algum. Educar é deixar que o conhecimento possa emergir criativamente, que o conhecimento seja criado e recriado. Educar é processo de construção conjunta, desprovido de hierarquias subjugadoras. Educar é se criar criando, se potencializar potencializando, através de um campo de forças criativas geradoras de conhecimentos, de artes, de histórias, de linguagens … de maneias de se efetuar como seres de potência.

Abraços   ****

Vivi

PARA QUEM AMA A VIDA …

Quem ama a vida, jamais perde a esperança. Quem ama a vida e o viver, o criativo e a criação, as alegrias ativas e a vontade de se renovar e transformar, não se deixa rebaixar pela desesperança. Pensando bem, a esperança ativa, criativa, potente em ato nos acontecimentos, é sempre uma energia muito mais possível do que o desespero que nos fazem acreditar.

Abraços   ****

Vivi

CUIDADO COM A MORALINA!

É muito fácil de reconhecer quando o meu modo de viver se mantém nas relações que estabeleço com os acontecimentos, com as pessoas e comigo mesmo, através um hábito cultural de julgar e comparar ou através da alegria criadora e ativa de viver nas conexões que estabeleço nos encontros. As obrigações da moralina sempre se estabelecem a partir da obediência cega de um pensar. Cuidado com as moralinas pois elas facilmente nos conduzem para o controle que vem acompanhado da subjugação que exclui e empobrece as forças da vida.

Abraços   ****

Vivi

EFETUAÇÃO

Independente da nossa vontade, a todo momento estamos em acontecimento. É nos acontecimentos que temos a oportunidade de nos efetuarmos como potência, nos encontros e nas relações. Pergunta importante: como eu me efetuo? como eu faço o que faço? Ao me efetuar, eu escolho aumentar minha potência ou me deixo ser levado(a) pelo que me acontece? O que aumenta a minha alegria de viver, ou o que rebaixa minha potência de existir? Consigo discernir ou me deixo ser levado pelas cumplicidades das falsas recompensas geradoras de falsos prazeres? Pense nisto!

Abraços   ****

Vivi

ESCOLHAS …

Se fazemos escolhas a todo momento, as escolhas que faço são pautadas por um jeito moralista de ser ou por uma ética criadora? Escolho por medo, por submissão, por obediência, ou as escolhas que faço no viver de cada momento tem como referência a criação de valores éticos que dignificam a vida em todas as suas expressões? Pense nisto!

Abraços  ****

Vivi