DESPERTAR PARA …

Muitos pensadores da alma humana, ao longo da história das tradições espirituais e filosóficas, trouxeram reflexões sobre o despertar do humano. Refletiram sobre aquele (a) que despertou, o ser desperto, em abordagens e metáforas para falar daquele que foi ao encontro do reconhecimento de Si. Um reconhecimento que  conclama, a compreensão da criatura que vive no mundo e ainda, do mundo que vive na criatura humana através das memórias e experiências vividas. O despertar para uma vida mais digna de ser vivida perpassa pelos processos de busca e reconhecimento de si no mundo vivido. Despertar para um viver em “peregrinação” e aprimoramento da alma humana.

Abraços   ****

Vivi

 

A PROCURA …

Dizem que “quem procura acha”, porque só o fato de se querer procurar algo, já é em si mesmo, uma ação em direção a um encontro. A procura é um encontro e o encontro é uma procura e aqui, nasce o despertar. Uma consciência que desperta se abre para conhecer e reconhecer novas camadas de Si e do mundo, novos saberes, novas possibilidades de ser e estar neste mundo em relação.

Abraços   ****

Vivi

 

 

PENSAR O SENTIDO …

Pensar e refletir sobre o sentido e o significado das “coisas”, do mundo e do viver humano na comunidade humana interconectada com o mundo natural, é sempre um pensar político. Embora que nem todas as pessoas considerem o âmbito da política no pensar o mundo, fato é que, fazer política é também pensar sobre o sentido do mundo. Refletir, contextualizar e aprofundar a compreensão sobre o sentido do viver e do conviver humano, é sempre uma ação política. O humano não está separado da política, afinal ele vive e convive na “polis”, na cidade, nas ruas, nos deslocamentos, nos espaços públicos onde habita e por onde gerações habitaram e conviveram e ainda, seguirão … Pensar o sentido do viver e o sentido das “coisas”, de algum modo, é fazer política.

Abraços   ****

Vivi

 

 

A ARTE DA PRUDÊNCIA

A arte da prudência é a arte de discernir o que é significativo do que é insignificante. Distinguir com ponderação, com clareza inteligente para fazer uma escolha ética, é a arte do cuidado consigo e com o outro. A prudência é uma virtude que o humano pode construir ao longo de sua existência e fazê-lo mais humano.

Abraços   ****

Vivi

 

PAZ E DEMOCRACIA

Para pensar a paz e pensar a democracia, é preciso pensar racismo. Enquanto houver racismo e racismos, nas suas mais diversas expressões ao longo da história e do viver relacional dos seres humanos nas diversas comunidades humanas, não haverá democracia. Afinal, se a Paz não for para todos, ela não será para ninguém. Aqui como ali, enquanto houver supremacia de uma cor e de um gênero sobre o outro, impossível pensar em diálogo democrático e participativo e ainda, espaços pacificadores, locais ou gerais.

Abraços   ****

Vivi

 

 

A GRANDE LIÇÃO

Feliz aquela pessoa que se coloca na vida e no viver disponível para aprender, para querer compreender. A crise sanitária em que se encontra a humanidade hoje,  certamente nos apresenta excelentes oportunidades para aprender e compreender a existência humana no planeta Terra. Muitas são as lições e muitos os ensinamentos. Apesar de todos os desafios, o vírus esteja oportunizando a experiência da solidariedade humana. Solidariedade, é grande lição! Foi a solidariedade, a cooperação, o cuidado, o compartilhar que permitiu que humanidade chegasse até aqui. Contudo, estes valores perderam a sua importância na trajetória civilizatória e o egoísmo, o individualismo assumiu o comando. Quem sabe este momento desafiante seja a oportunidade que os humanos estão tendo para re-aprenderem o valor dos valores solidários.

Abraços   ****

Vivi

COMPREENSÃO …

Compreender a complexidade humana, é se disponibilizar a compreender todo o espectro das interconexões da história da vida humana, desde o nascimento da vida até os dias atuais. Ampliar a percepção para compreender o que nos agrega e o que nos desagrega enquanto humanidade, em relações de interdependência com tudo que vive e convive neste planeta vivo, talvez seja o maior desafio da Educação e dos sistemas educacionais. Compreender os saberes e os modos de conhecimento, compreender os afetos e os modos relacionais existentes nos vínculos afetivos, compreender os ciclos de nascimento, crescimento, desenvolvimento e morte, compreender os ritos de celebração do nascer e os ritos do luto e do morrer. Compreender os cantos, as danças, as poesias e os poetas, nas mais diversas expressões culturais em todos os tempos da existência humana e da vida nesta Terra. Compreender que somos o que somos porque somos juntos, aprendemos e construímos nossos saberes e ritos juntos e assim nos humanizamos …

Abraços   ****

Vivi

 

ESPERANÇAR

Esperança não significa esperar por esperar, esperar sem ação. A esperança é um sentimento que inclui uma ação, inclui um agir com propósito e determinação. Esperançar a esperança, é trazer clareza e lucidez aos propósitos vitais que alimentem a vida, que alimentem os valores que sustentem ações que vitalizem a vida e viver, vitalizem o bem-viver. Bem-viver é um viver para o bem comum, em aliança ao bem comum. Um bem que é compartilhado na partilha da cooperação, dos afetos, de tudo que alimenta e nutre uma vida digna para todos igualmente. Esperançar, é realmar a esperança na ação para um Bem-Viver de todos e todas e ainda, de tudo que vive.

Abraços   ***

Vivi

DIREITOS HUMANOS

Não é possível pensar em Direitos Humanos sem pensar a intersecção, a complementariedade e a interdependência dos direitos. Pensar Direitos Humanos, Direitos Universais, Valores Humanos Universais, é pensar em integralidade do ser e da vida. Não há vida fora da interdependência. Quando os Direitos Humanos são pensados isoladamente, pode se ter a certeza de que se trata de um discurso falso, de uma enganação para a mente humana, de uma narrativa que tem por única finalidade comprometer a subjetividade humana para atender aos interesses de um poder dominador.

Abraços   ****

Vivi

LIBERDADE E DESIGUALDADE

Quando as relações são desiguais, impossível é falar em liberdade. A liberdade pressupõe escolhas em igualdade de condições. Desigualdade não significa diferenças pessoais. Cada ser humano, cada pessoa humana é portadora de um incrível potencial de talentos e competências que necessitam de espaços para serem acessados e vividos integralmente. A desigualdade social aliada à injustiça social usurpa qualquer acesso à integralidade do ser. Sob estas condições não há liberdade. Sem acesso ao potencial pessoal, ninguém é livre para escolher. A dignidade humana, ou uma vida com dignidade necessita de igualdade de condições. Se a liberdade é um valor fundamental para uma vida digna, é necessário que não haja desigualdade de condições.

Abraços   ****

Vivi