AUTOCOMPAIXÃO

“Dar a si próprio o mesmo cuidado, consolo e serenidade que de forma natural proporcionamos a nossos entes queridos quando estão sofrendo, quando fracassam ou quando se sentem inadequados.” Christopher Germer  Pensar em compaixão é também pensar em autocompaixão. A experiência compassiva tem sido apontada fundamental para favorecer a saúde física, mental, emocional e relacional, tanto individualmente como socialmente. O cultivo da compreensão de si e a disponibilidade de auto acolhimento favorece a empatia e a compaixão.

Abraços   ****

Vivi

UMA MANEIRA DE SER

Trabalhar com a mente e com o corpo, cultivar as qualidades da mente e do coração como a generosidade, a gratidão, o perdão, a bondade, a compaixão, a alegria empática, a equanimidade, a atitude de não causar danos a ninguém é como o treinamento de um atleta, é necessário autodisciplina e compromisso. O cultivo intencional de viver a vida com atenção qualificada momento a momento, é mais que uma prática, é uma maneira de ser, é um compromisso pessoal de quem se valoriza e se respeita como ser humano. Somente se valorizando e se respeitando é possível valorizar e respeitar o outro, pois é através da experiência pessoal que podemos reconhecer a importância da valorização da vida. Aqui começa a transformação. Quando mobilizamos nossos recursos internos, com dedicação e entusiasmo as mudanças acontecem em nós e em nosso entorno. A prática de valorização da vida e da qualificação de nossa presença na existência é um acontecimento momento a momento, em cada “agora” de uma consciência viva.

Abraços   ****

Vivi

ACEITAÇÃO

A vida é como ela é! Aceitar as coisas como elas são, sem julgar, sem se lastimar, é reconhecer o valor de cada momento da existência. O único momento que temos é o agora, o presente de cada momento, onde podemos aprender a conviver com o que é, com o que está. Aceitar o momento presente com atenção e bondade amorosa, não implica em resignar-se na tolerância mas, crescer e curar através do valor da sabedoria da autocompaixão. Os desejos egocêntricos da mente, os medos e os preconceitos capturam o presente, roubam a oportunidade de agirmos de maneira adequada em relação aos sentimentos e às necessidades do instante. Receber cada momento da vida da forma que ele vem, estando presente ao que é e como é, sem julgar, permite aceitar os próximos momentos com atitude de sabedoria, e agir com sabedoria. Aceitar, é reconhecer a mudança, reconhecer a impermanência e aprender com a dinâmica natural da vida que a todo momento oferece uma oportunidade para transformar. A atitude de aceitação do agora, já é uma abertura para reconhecer o valor de cada momento, com todo o seu potencial. Uma atenção focada no presente tem a possibilidade de perceber o valor da mudança.

Abraços    ****

Vivi

A CONFIANÇA COMEÇA COM A AUTO CONFIANÇA

Quanto mais eu confiar em mim mesmo, mais fácil será confiar nas outras pessoas e ver a bondade natural que também existe nelas. Quanto mais eu me reconheço e me compreendo podendo ser eu mesmo, melhor eu poderei reconhecer e compreender as pessoas como elas são. A atitude de disponibilidade para compreender e confiar na própria intuição, na autoridade de si mesmo abre os espaços para valorizar a percepção sem ficar dependente da autorização externa. Ser autor de sua própria existência, depende do cultivo permanente de uma atitude de autoconfiança. Não significa soberba, nem prepotência. Estas  são atitudes perversas que tendem a criar distância entre as pessoas. A verdadeira atitude de confiança aproxima, conecta, liga, religa e interliga as pessoas. A insegurança pode gerar autodefesas como a arrogância. Quando nos tornamos mais plenamente nós mesmos, confiantes de nossos sentimentos, nossas necessidades, estamos disponíveis para aprender, para renovar, para transformar e maturar. A confiança em si mesmo permite a confiança no outro. Confiar na sua bondade, na sua capacidade de compreensão amorosa, permite confiar na bondade e na capacidade de compreensão do outro. A confiança é o nutriente da sabedoria da autoconfiança, e a autoconfiança, permite o pleno contato com a humildade e com a coragem.

Abraços   ****

Vivi

VER E SER

A distração rouba a presença. Uma mente distraída, agitada, ansiosa, não consegue estar presente em cada momento da sua existência. Uma mente ausente de si, está impedida de ser e de ver. Grande parte das confusões mentais, do sentimento de frustração, dos medos e inseguranças, estão relacionados com a falta de atenção.Quando conseguimos estar atentos ao que fazemos, seja tomando um copo de água, lavando louça ou respirando, podemos perceber que o intenso fluxo de pensamentos impedem a sustentação do foco atencional à tarefa a qual estamos nos propondo a realizar. Sustentar a atenção na presença de um presente, é também uma habilidade e como toda habilidade, pode ser treinada. Aqui entra a intenção e o propósito. Qual é o propósito da minha vida: ver e ser com toda a intensidade de minha potência, ser verdadeiramente quem sou e ver o mundo como ele realmente é ou, se manter agitado nas distrações que perturbam, geram insatisfações e deturpam a realidade? Prestar atenção estando presente momento a momento, é viver a vida com sentido, direção e significado. É viver uma vida com mais potência, mais talentos, mais saúde, mais alegria.

Abraços   ****

Vivi

MÃOS  CURTAS …

Embora que o humano tenha mãos poderosas para fazer e criar, construir e transformar, suas mãos se encurtam quando sua visão de mundo se estreita. A  incompreensão da abrangência de uma ação, seus desdobramentos e consequências, encurtam as mãos humanas. Tudo que uma pessoa faz atinge outras pessoas, por menor que seja uma ação. Acrescidas as tecnologias e o poder de seus efeitos sobre as pessoas e mais pessoas, evidencia a importância fundamental do significado ético na vida humana. A responsabilidade de cuidar das escolhas que fazemos, o significado das decisões, das ações que realizamos e as implicações sobre o meio e sobre as relações de convivência, tem sido a cada dia, de fundamental importância para o futuro da humanidade. “ Um planeta exaurido, dessecado e superaquecido que nossos filhos e filhos de nossos filhos herdarão e terão que habitar, é resultado direto ou indireto de nossa presente negligência coletiva.” Zygmunt Bauman

Abraços   ****

Vivi

CUIDADO  COM  OS  EXCESSOS

Não há como negar que o ser humano está mergulhado em excessos e talvez o excessivo, possa ser a razão de tantas turbulências, desgastes, desajustes, competições, desejos, ansiedades, tédios ….  Temos excessos para mais e para menos num imenso desequilíbrio social e pessoal. Excessos de comida para alguns e escassez de comida para muitos. As desigualdades sociais associadas às injustiças sociais,  revelam que a balança está completamente sem baliza. A todo momento o conhecimento se multiplica, as exigências se tornam mais exigentes, as informações chegam em avalanches, as demandas são urgentes e imediatas diante de um espaço e um tempo que são absolutamente limitados. Neste cenário, nada se aprofunda e tudo acaba por se reduzir à superficialidade. O desafio maior é saber selecionar, escolher, fazer foco, decidir e discernir o que realmente é importante, o que devo pegar e o que devo deixar. É saber discernir o necessário do supérfluo afinal, não há corpo, não há mente que possa processar tudo a um só tempo. “Em tempos antigos  ter poder significava ter acesso a dados. Atualmente ter poder significa saber o que ignorar.” Yuval Noah Harari

Abraços   ****

Vivi

O CORPO E O PILOTO AUTOMÁTICO

O nosso corpo é a nossa grande fonte de experiência e conhecimento. Toda a nossa história pessoal e evolutiva está gravada em nosso corpo. Ele faz o registro de tudo que nos acontece. O corpo vivo, em sua dinâmica e funcionalidade, evidencia sinais e mensagens que nos permitem, pela consciência, nos autorregular para manter o nosso equilíbrio somático, mental, emocional. Se estamos presentes neste corpo, atentos às sensações temos a possibilidade de reconhecer suas mensagens mas, se estamos no piloto automático não conseguimos perceber suas informações e solicitações. Muitas pessoas dizem que não conseguem relaxar e não relaxam, porque estão completamente distantes de sua corporeidade. O estresse do cotidiano produz tensões que se alojam nas memórias dos diversos grupos musculares em suas especificidades. Se não conseguimos desligar o piloto automático não conseguimos relaxar, não conseguimos perceber as tensões localizadas nos ombros, nas mandíbulas, nas costas, na testa, no rosto … Para relaxar, é preciso reconhecer as tensões, ou seja, sair da inconsciência. Voltar a atenção ao corpo com uma mente focada e amorosa, captar as sensações que vem da musculatura e enviar as mensagens para dissolvê-las e soltar, é reconhecer o estado de inconsciência  do piloto automático, para saber desligá-lo. Focar a mente no corpo, reconhecer as sensações e mensagens, relaxar e tonificar, também é um aprendizado. Relaxar e focar com atenção, também se aprende! Perceber as distrações e as tensões, já é um passo para a transformação. Os automatismos nos distanciam do nosso corpo, do estado de presença, das nossas sensações, das experiências e mensagens, que são fundamentais para uma saúde equilibrada e uma vida saudável. Felicidade é sentir o prazer de estar bem em seu corpo,  em sua mente, em suas emoções e em suas relações .

Abraços   ****

Vivi

COMUNICAR BEM E CONHECER BEM

“Seres Humanos se odeiam porque se temem; se temem porque não se conhecem; não se conhecem porque não conseguem se comunicar.” M.L. King Uma comunicação verdadeira, sincera, amigável, receptiva é fundamental para a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Muito das nossas estranhezas como humanos se refere ao fato de não conseguirmos estabelecer bons canais de comunicação. Nos estranhos, porque não nos conhecemos. Quando não conhecemos nossas histórias, nossos ambientes, tendemos a julgar, culpabilizar e nos afastar. A proximidade e o vínculo dependem de um contato afável, receptivo, de boa vontade. Abrir os canais para estabelecermos bons espaços de comunicação, onde possamos transitar com confiança, cooperando, conciliando, favorecemos os vínculos afetivos. Estranhamos o que não conhecemos. Nos afastamos dos ambientes que nos parecem ameaçadores, o que é natural. Contudo, se reconhecermos a importância da disponibilidade de conhecer a si e ao outro, ampliamos os espaços por onde o pulso da vida poderá se manifestar. Abrir espaços para que a comunicação aconteça, já é um grande alimento para a alma humana. Um alimento que todas as pessoas podem compartilhar.

Abraços   ****

Vivi

QUANDO NECESSIDADES NÃO SÃO ATENDIDAS …

O desconforto social e pessoal devido à falta de confiança nas relações, às exigências de modelos consumistas, à aceleração das incontáveis demandas, ao excesso de informações, afastam o ser humano do contato consigo mesmo e da valorização da vida. Estar em contato consigo mesmo e com as outras pessoas de forma mais equilibrada, é uma necessidade biológica do humano que tem sido negligenciada nos últimos tempos. Apreciar o bem estar, o estar junto no reconhecimento e valorização do acolhimento, do cuidado, da proteção, são aspectos fundamentais para a saúde do corpo, da mente, das emoções e do espírito. Quando as necessidades universais do ser humano não são atendidas, a resposta que se evidencia com toda contundência é a violência, nas mais diversas formas de sua expressão. Uma pessoa quando não tem suas necessidades mais básicas e essenciais atendidas, seu comportamento se torna hostil, consigo e com o outro. Bem estar, acolhimento, proteção, confiabilidade, respeito, dignidade, segurança, como alimentação, moradia, educação, trabalho, lazer, reconhecimento e pertencimento, são necessidades fundamentais para todos os seres humanos em qualquer parte deste mundo.Quando estas necessidades mais básicas não são atendidas, a única resposta é a violência. Por mais difícil que seja a compreensão: toda expressão de violência é um grito de sofrimento. Depositar esforços conjuntos para compreender e agir em favor da mudança deste cenário, talvez seja uma das tarefas de maior urgência para a sociedade humana que ainda tem que enfrentar preconceitos, colonialismos, subjugações, explorações, egoísmos, meritocracias e tantas outras desordens causadas por visões de mundo completamente obsoletas. Se agirmos no pessoal, seremos capaz de agir no social!

Abraços   ****

Vivi