CUMPLICIDADES

Enfeitiçadas pelas promessas de uma máquina social, muitas são as pessoas que se deixam ser capturadas pelas hipocrisias de um modelo capitalista que explora, subjuga, oprimi e despotencializa. Acreditando em um futuro promissor e livre, o feitiço que se esconde nas luzes opacas da falsidade, transformam as pessoas em cúmplices de si mesmas e de um sistema que necessita das seduções para se manter atuante.

Abraços   ****

Vivi

CAMADAS DE EXISTÊNCIA

Nós humanos nos constituímos de múltiplas camadas de existência viva, em constante integração. São muitos os mundos que existem continuamente em cada pessoa humana. O humano vivo está em permanente contato, conexão, integração com os fluxos vitais, nos acontecimentos. Quando “esta pessoa” que sou “eu” se alimenta de paixões tristes, há um rebaixamento da potência nas relações, nos mundos com os quais me relaciono. O que quero com a minha vida e com a vida e o viver?

Abraços   ****

Vivi

UM CORPO ABERTO E POROSO

A vida que respira é porosa. Nossos pulmões se constituem pela porosidade de suas camadas alveolares. Um corpo poroso, aberto, que se coloca em relação, em efetuação nos acontecimentos, é um corpo ativo que pode alimentar alegrias ativas e não alegrias tristes ou passionais.

Abraços   ****

Vivi

A PALAVRA …

A palavra é um dos modos de expressão do pensamento. Corpo é pensamento. Há um psico soma que integra palavra-pensamento-corpo, e ainda, sentimento e emoção. Palavras que não tem expressão, não tem valor. Cuidar das palavras expressas, é também um modo de cuidar do corpo em seus pensamentos, em suas emoções e sentimentos. Resgatar as palavras para que elas nos ajudem a resgatar nossos corpos subjugados pelas máquinas sociais, é resgatar a potência da vida.

Abraços  ****

Vivi

O OUTRO …

O outro não está fora, mas dentro de mim mesmo. O outro está em mim! O outro está em Si mesmo, neste SI que sou eu. A cultura nos moldou a ver o outro no externo de mim, para fora de mim, mas este outro que está em mim, é parte de mim mesmo, me compõe e me constrói como sujeito. Todos os seres vivos neste planeta estão absolutamente integrados, estão em permanente relação e inter- relação nos ambientes, nos encontros, nos acontecimentos, nos modos de viver e se relacionar. Nada está fora!

Abraços  ****

Vivi

UM MODO DE RELAÇÃO COM A VIDA …

Como nos relacionamos com a nossa vida em nosso viver? Alimento alegrias ativas que elevam minha potência, ou me deixo cair nas armadilhas das paixões tristes que rebaixam minha vitalidade? O modo como nos relacionamos com a nossa vida e como lidamos com o que nos acontece, é o grande diferencial. Um corpo subjugado pelo dever moralista, é um corpo que se despotencializa. Pense nisto!

Abraços   ****

Vivi

MISERÁVEIS AFETIVOS

Por mais incrível que pareça, há pessoas que insistem em permanecer na miséria afetiva. Inseridos num círculo vicioso, os “miseráveis afetivos” se alimentam do ressentimento, que aciona a inveja, o ciúme, o desprezo, a competição, como formas manifestas da covardia. São padrões mentais viciosos e viciantes, reveladores de um sofrimento que não consegue sair de um círculo de insensibilidade, de uma angústia permanente, de um profundo sentimento de desamparo.

Abraços   ****

Vivi

VOCÊ SERIA CAPAZ DE …

Você seria capaz de ler o mundo a partir dos olhos de quem chorou? Este é um provérbio africano que propõe uma outra lógica no pensar, um outro modo de vida, um outro jeito de ver e olhar o mundo e os acontecimentos. Pense nisso: procure ver e pensar o mundo a partir dos olhos de quem chorou, de quem sofreu ou está em sofrimento. Experimente sentir a partir do outro, de um outro em desamparo. Experimente qualificar e sentir e não racionalizar pela lógica fria e estéril da racionalidade que interpreta, compara e julga. Sensibilize-se!

Abraços   ****

Vivi

CRIAÇÃO ATIVA

Em meio aos processos do viver e do conviver, somos atravessados por forças de conservação ou de criação. As forças da vida estão sempre em devir nos acontecimentos. As forças reativas se colocam na conservação, tendem a conservar o existente pela reatividade. As forças ativas são as forças de criação, que se tornam disponíveis a criar e transmutar o que acontece. Estar na diferenciação dos acontecimentos, é se colocar ativamente em processo de criação.

Abraços   ****

Vivi

ESTAR PRESENTE

Como diria Nietzsche, “ o propósito da humanidade não é ser vista na realização de algum estado final de perfeição, senão estar presente em seus mais nobres exemplos.”  Estar presente na plenitude do ser que se é, já é em si mesmo, um ato de coragem, é um ato de quem preserva a nobreza da dignidade humana. Estar presente como opção nos acontecimentos e encontros do viver, não significa estar na direção de uma perfeição moralista ou racionalizada, mas, é se disponibilizar a viver a potência da vida.

Abraços   ****

Vivi