ESVERDEAR NÃO É MUDAR

Estar atento aos discursos, falas e exortações, tem sido uma atitude fundamental em tempos conturbados para não cair nas armadilhas das retóricas construtoras de ilusões. Ideias que pregam a proteção dos verdes da natureza, das intenções bondosas de generosidade para com os excluídos e os menos favorecidos, muitas delas se utilizam destes argumentos como trampolim para encobrir nos disfarces a competição, as desigualdades, as opressões, a exploração e destruição do meio ambiente. Todo cuidado é pouco, senão podemos todos serem enganados pelos discursos que separam e fragmentam a vida. Pensar e refletir necessita de muita atenção, de percepção ampliada e contextualizada.

Abraços ****

Vivi

O ALCANCE DE UM BEM-VIVER

O estado de Bem-Viver, democratizado para cada pessoa, para cada comunidade e para a sociedade humana, depende de um caminhar junto. Caminhar junto no sentido da Vida, da evolução da Vida, da espiritualização, da amorização do todo em convergência com o bem e a proteção de todos os seres. Se cada um fizer a sua parte, se disponibilizar a estar a serviço da vida e de sua preservação, acolhendo a todos os seres, sobretudo os excluídos, aqueles que não tem visibilidade no tecido social, estaremos seguindo para alcançar o bem-viver democratizado e almejado.

Abraços ****

Vivi

 

SUJEITO DE SI

Ser sujeito de seu próprio desenvolvimento é um trabalho para a vida toda, mas também é a chave para o empoderamento e a emancipação. A educação é por princípio, detentora desta responsabilidade. Construir e formar o Sujeito de Si, o cidadão comprometido com o bem comum, que se coloca a serviço da cidadania, consciente da interdependência e da equidade, é um projeto e um processo que se constrói momento a momento. Nenhum sujeito, por mais que esteja isolado, sempre estará imerso em relações de afeto com o seu meio, com o ambiente, com as instituições e o Estado. Um sujeito de si é também, e ao mesmo tempo, um sujeito social no meio político, econômico, ambiental e histórico no qual vive e convive.

Abraços ****

Vivi

VIDA COM QUALIDADE

Viver com qualidade é viver na abundância da potência humana. É viver na conexão com a potência viva do ser humano, através da sua capacidade de se renovar, se recriar. A capacidade criativa caminha com a capacidade de adaptação, que não significa resignação ou subserviência. Dar qualidade à nossa vida, é estar conectado ao sentido e ao propósito da nossa existência. Uma conexão existencial que pode oferecer qualidade ao nosso viver e conviver, momento a momento.

Abraços   ****

Vivi

OUTRA LIÇÃO DO CORONA

A solidariedade, a atitude solidária, permitiu ao ser humano fazer uma história humana que nos trouxe até os dias de hoje. Somos por natureza seres solidários. A solidariedade humana foi o elemento evolutivo que nos fez saltar da animalidade para a humanidade. Os antropólogos mostram com grande evidência esta marca evolutiva. Preservar a solidariedade, é preserva a natureza humana e a vida humana, é preservar a natureza e a Mãe Terra. A solidariedade é uma experiência do afeto amoroso, da benevolência que existe em todos os seres humanos. A solidariedade é a grande “cola” que nos unifica e nos protege, que nos faz fraternos e irmanados.

Abraços   ****

Vivi

MAIS UMA LIÇÃO DO CORONA

Quem disse que o ser humano é absolutamente auto suficiente e independente? Quem disse que podemos viver sozinhos e que não precisamos de ninguém? Grande equívoco!!!! Nós seres humanos estamos todos interligados num grande processo de interdependência. Dependemos uns dos outros e necessitamos das relações, dos afetos, das presenças, dos contatos com os outros humanos. A história do individualismo é contada para fragmentar, separar, dividir e portanto, controlar. Nós seres humanos existimos num imenso tecido relacional de existência. Quando o individualismo rondar seu imaginário, fique atento a esta grande falácia de uma narrativa que tem por intenção apenas controlar a vida humana para que ela sirva a interesses contrários à vida. Atenção!

Abraços   ****

Vivi

UM MENINO

Apenas um menino que sonhava. O menino tinha um sonho: queria conhecer o mar! O menino que queria conhecer o mar, um dia pediu ao pai que o levasse para conhecer o mar. Quando o menino junto ao pai se viu diante do mar, o menino diz: pai me ajuda a ver o mar!!! Quando estamos diante de uma realidade que é intensamente intensa para nós, não conseguimos ver o real, precisamos de ajuda, precisamos de alguém que nos faça enxergar o que se mostra excessivo. Êxtase? Talvez! Assim também acontece quando nos aproximamos do Sagrado em nós. A potência divina é a nossa essência humana, diante dela paralisamos, porque ela em si mesma nos arrebata.

Abraços ****

Vivi

 

REINVENTAR

A realidade da pandemia está a cada dia evidenciando que o mundo mudou. Se o mundo mudou, nós pessoas teremos que mudar para nos adaptar a este novo mundo que se apresenta. É preciso reiventar. Os modelos anteriores já não cabem mais. O pós pandemia exige de cada um de nós um espaço interno e consciente para pensar e agir de outra forma. Criatividade e mudança são as palavras de ordem.

Abraços  ****

Vivi

 

 

DEVERES DE CASA AINDA POR FAZER…

A pandemia apenas mostrou e está mostrando ao vivo e a cores uma realidade que sempre existiu, mas, evitamos ou nos negamos a ver, reconhecer e agir para transformar: o racismo estrutural e a desigualdade social. São dois elementos que não foram trabalhados pelas políticas públicas na história da república, que corroem as relações e ainda, são fontes permanentes de violência em todas as suas expressões. As expressões da violência nas suas faces mais evidentes, como a violência estrutural e operacional concreta, como a violência institucional e cultural, corroem as relações em todas as dimensões. Importante compreender que, toda violência é um grito de socorro! Se algo do humano ou da natureza foi violado, a resposta só pode ser a violência. Enquanto não for encarrado, visto e transformado os fatores violadores da dignidade humana e da dignidade da vida, estas expressões continuarão assombrando a vida dos humanos e de tudo que vive nesta Casa Comum.

Abraços   ****

Vivi

IMAGINAR UM MUNDO DIFERENTE

Quando o humano se afasta da sua humanidade, ele perde seus sonhos e sua imaginação. É a imaginação, são os sonhos e as utopias as alavancas impulsionadoras do viver humano, na comunidade humana, em conjunto com o meio natural e com toda a natureza viva. A sensibilidade humana, é o alimento dos sonhos. O humano sonha conforme as histórias vividas em seu meio ambiente, em sua comunidade de afetos. São os afetos que podem imaginar um mundo diferente, um mundo onde a vida seja o sentido e o significado maior do viver nesta Casa Comum. Deixar de sonhar, é deixar de viver. Sonhar, imaginar, é ver em perspectiva, é acordar a cada dia acreditando no melhor e no maior da existência humana. Imaginar um mundo mais humano, mais solidário, mais amistoso com o diferente, é ter a coragem de viver amores e amizades, carinhos e bondades, determinação e sabedoria.

 

Abraços   ****

Vivi