A CRISE

Estamos em crise! A humanidade e o processo civilizatório estão em crise! Como toda crise, a humanidade, o coletivo e indivíduo, se encontram diante de um ponto, um ponto de bifurcação, em que terá que tomar decisões e fazer escolhas. Uma crise é um momento, ou um período em que é necessário acionar a imaginação criativa e ao mesmo tempo, enfrentar os medos e as regressões mentais e sociais. A imaginação criativa é extremamente fértil no humano, mas para acioná-la há que abandonar os “velhos” modelos, os padrões ou modos de viver e pensar que impediram a potência da vida. Os medos rondam, certamente. As incertezas são inúmeras, mas a potência da vida vem com a coragem de deixar para traz, largar e mudar os velhos hábitos para transformar e permitir que a potência da vida que está bloqueada possa ser desimpedida para florescer. Será que teremos tempo?

Abraços   ****

Vivi

PATOLOGIAS POLÍTICAS

A palavra política e o fazer político, para muitas pessoas ainda é motivo de recusa. É muito comum encontrar pessoas que se recusam a pensar a política julgando que política é uma instância a ser negada, ou deixada de lado, por incontáveis argumentos. Contudo, mesmo que quisermos nos recusar a enfrentar a “política” ela faz parte do humano, da pessoa humana que habita este mundo, que vive na “polis”. Ocorre que, muitos são os discursos que insistem em afirmar o lado perverso e corrupto da política. Nestes cenários a política adoece e com ela são disseminadas as patologias. Pergunta: será que, se cada cidadão pudesse refletir sobre a sua responsabilidade no viver conjunto na polis, ou seja, na cidade, nós poderíamos salvar a política e exigir a responsabilidade dos políticos?

Abraços   ****

Vivi

PARA PENSAR ….

Conectar-se com a alma, abre os caminhos da calma. Estar vibrando com as brisas do mar e se deixar acariciar com o frescor e a leveza, é amar para além dos limites. Consolar, é se manter em solo firme. Uma oração, é uma ação que brota do coração. A coragem frutifica num coração verdadeiro que age com veracidade. Viver no espírito da compaixão é acalmar-se com alma, é amar com a força da sabedoria do mar, é orar com a coragem de um coração que sabe consolar e se consolar.

Abraços   ****

Vivi

CALMA

Cultivar a calma é sabedoria. Acalmar a mente e o coração, é trazer qualidade ao presente. A calma estabiliza, equilibra e abre espaço para a humildade. A humildade alimenta a doçura, que alimenta a calma. O caminho sempre está desimpedido para quem tem calma e pode ver e olhar a realidade assim como ela é.

Abraços   ****

Vivi

ESTAMOS NUMA ENCRUZILHADA?

Sempre que a humanidade se vê diante de uma ou múltiplas encruzilhadas, a incerteza se evidencia para todas as direções. Embora que os desafios sejam tremendos, é também uma oportunidade para mudar e transformar. As encruzilhadas são pedagógicas. Elas fazem com que o humano tenha que parar na sua trajetória para decidir e escolher. Então, nós humanos chegamos mais uma vez  diante de uma encruzilhada e temos que decidir. Como toda decisão, exige-se que façamos escolhas: algo terá que ser abandonado para tentar algo novo ou desconhecido. Aqui é preciso força e coragem, lucidez e bom senso, afinal se a escolha não for adequada e como estamos todos num mesmo “barco”, ou nos salvamos todos ou … morreremos todos ….

Abraços   ****

Vivi

FALA-SE EM PANDEMIA …

Fala-se de uma doença infecciosa que se alastra e compromete a saúde de todas as pessoas indistintamente. Então poderíamos afirmar que estamos em meio a uma pandemia causada por um vírus, mas, será isto apenas? Realmente toda a humanidade, neste momento, tem sido atingida por uma doença infecciosa vinda a partir de um vírus. Contudo, se ampliarmos um pouco mais a percepção poderemos verificar que existem muitos vírus soltos no “ar” e que vem a cada dia revelando os múltiplos sofrimentos que tem atingido a humanidade, sobretudo as pessoas mais desfavorecidas. Estes “vírus” tem nome sim: capitalismo, colonialismo exploratório e escravocrata, racismos de todas as ordens, fascismos que aparecem travestidos de moralismo, rentismo mercadológico que visa apenas e tão somente o lucro que destrói a natureza e a vida da natureza, e vai por aí…. De uma moral que se nutre do egoísmo, do individualismo, do negacionismo, do salve-se quem puder, da falsidade e da mentira, da vaidade … Onde está a cura para esta tremenda infeção?

Abraços   ****

Vivi

ECO EMPATIA

Pensar empatia é pensar em ressonância afetiva. Quando nos colocamos no lugar do outro, na tentativa de experimentar, a partir dos afetos o que o outro possa estar sentindo, abre-se uma janela de oportunidade de cooperação, de encontro, de compartilhamento, de identificação na co-existência. Seguindo nesta mesma direção de afecção, a eco empatia nos permite expandir a percepção e entrar em ressonância afetiva com tudo que vive nesta nossa Casa Comum. Ampliando o conceito de ecologia do ser, chegamos na eco empatia, com a possibilidade de  “sentir” as dores e os sofrimentos deste organismo vivo diante da espoliação, da destruição dos biomas, do sacrifício dos animais para sustentar os prazer egoístas do humano, da exploração do solo, da contaminação das águas e dos ares … Pense nisto, e tente sentir as “dores psíquicas” deste organismo vivo chamado Gaia, a Mãe Terra.

Abraços   ****

Vivi

UM SENSO DE LUGAR

A dimensão de uma cosmologia do ser, aponta para o reconhecimento da existência de um senso de lugar da humanidade no cosmo. A comunidade humana sendo parte integrante de um todo cósmico, se mantém no processo evolutivo. Em nossos corpos   encontram-se partículas químicas que compõe o universo desde o big bang. A consciência de que fazemos parte e integramos o todo universal, oferece ao ser humano um senso de pertencimento na infinitude cósmica.

Abraços   ****

Vivi

CONTENTAMENTO

A satisfação que provém do contentamento, é sempre satisfatória. A agitação que impede o equilíbrio traz insatisfação. Cultivar o contentamento, é nutrir a vida interior e exterior, é poder viver sem arestas, sem a possessividade que atormenta o coração.

Abraços   ****

Vivi

O CAMINHO DO CONTENTAMENTO

O contentamento não significa acomodação, mas, satisfação plena, ou completude. Quando os desejos nunca são satisfeitos, o desapego não consegue penetrar. Contentar-se é saber dos limites, é reconhecer que a ambição só traz insatisfação e inveja. O caminho do contentamento, é um caminho de cultivo interior, do cultivo da autorrealização.

Abraços   ****

Vivi