DIALOGAR PARA SE COMPLETAR

Se não vivemos sozinhos, se dependemos uns dos outros, se a vida se estabelece por trocas e reciprocidades, aprender a dialogar para aprender a compartilhar e se completar através do outro, é algo que ainda temos muita dificuldade de fazer. Somos seres incompletos, e é através do outro e com o outro que aprendemos a ser um ser humano humanizado. É através do dialogar que podemos viver a experiência da cooperação, do compartilhamento, do acolhimento, do novo e daquilo que está por vir. O diálogo abre os espaços para emergir o novo e tudo o que possa contribuir para o nosso crescimento pessoal, relacional, psíquico e espiritual.

Abraços   ****

Vivi

 

ABRIR ESPAÇOS …

Embora que muitas sejam as mudanças que surgem a todo dia no cenário cotidiano, ainda como humanos buscamos certezas e previsibilidades. Abrir espaço para o novo é uma atitude mental e comportamental que em grande parte fica apenas nas reflexões teóricas. Conviver como o diferente, reconhecer e aceitar a diversidade, nas relações de convivência ainda parece ser algo bastante desafiador. Disponibilizar-se para dialogar com o novo é uma atitude que requer treino mental, fácil de falar mas, difícil de agir.

Abraços   ****

Vivi

 

 

CONFIANÇA

A confiança é um ingrediente fundamental nas relações de convivência, seja nas relações que estabelecemos com o outro, com os outros e com o mundo, seja nas relações que estabelecemos internamente em nossa vida interior. A auto confiança, caminha junto com a confiança que depositamos em todas as nossas relações sociais. Confiar é fiar junto, é tecer junto, com o outro e todos os outros que existem em nossa subjetividade. Sendo fruto das experiência vividas, associada  às memórias e também ao coletivo cultural a que somos parte integrante, independente nossa vontade, a confiança é um sentimento fundamental em todas as relações sociais. Até mesmo os economistas afirmam que a confiança é o que mobiliza as operações financeiras. Então, por onde tem andado a confiança social que às vezes parece que saiu da cena?

Abraços   ****

Vivi

 

CORAGEM PRECISA DE CORAJOSOS

Ser feliz, ser digno da dignidade, ser ético, ser pleno para uma vida em plenitude para si e para todos, é uma questão de coragem. Não é possível ser feliz diante de tantas pessoas infelizes. Há que ter a coragem de enfrentar o medo, a covardia, a inveja, a ganância, a prepotência, a auto mentira e auto sabotagem mental para ter a dignidade de ser digno de uma vida plena. Justiça se faz com pessoas justas. Nunca haverá justiça enquanto as pessoas não forem honestas e justas consigo mesmas. Para viver uma vida com dignidade, há que ter a coragem de ser honesto consigo mesmo. A coragem de mergulhar nas entranhas de si mesmo para reconhecer e abandonar o que me faz egoísta e individualista.

Abraços   ****

Vivi

 

 

 

 

PARADIGMAS EM MUDANÇA

A história evidencia a cada geração e a cada dia que os paradigmas que têm norteado a humanidade se esgotou! Que paradigma? O que se esgotou? O que se esgotou é este modelo de uma racionalidade egoísta. Quando o modelo cultural coloca o dinheiro à frente da vida, é sinal que a vida está correndo risco. O paradigma do bem para poucos, da riqueza para poucos, dos privilégios para poucos em detrimento da miséria e fome para milhões, não tem mais sustentabilidade. Não há ecologia sem democracia. Não vida sem equidade. Estamos matando nossos rios, nossas terras, nossos mares, ares, florestas, águas, nossa gente, nosso planeta. É a vida que está em perigo. O modelo rentista do lucro a qualquer custo, esgotou-se. O que fazer?

Abraços ****

Vivi

O RESIGNADO

Cuidado com o resignado! Cuidado com o sujeito que cai na esteira da resignação e cuidado, com o resignado que pode se apropriar na nossa subjetividade. A resignação é uma atitude que pode até parecer realista ou pragmática, mas no fundo, é geradora de isolamento, individualismo e até mesmo de  hipocrisia. A resignação se apropria das expressões: “ é assim mesmo, as coisas são assim e eu não tenho nada a fazer…” O antídoto da resignação poder ser a Esperança!

Abraços   ****

Vivi

 

 

 

 

MICRO POLÍTICA

A reatividade recorrente pode ser um patrão que se repete e de tanto repetir, acaba se tornando uma segunda pele. Ações internas regidas por uma micro política reativa tem como efeito a diminuição da potência da vida, o bloqueio da capacidade de florescência da vitalidade. Uma vida anêmica na sua vitalidade, desnutrida e despotencializada, perde sua capacidade de renovação e transformação. Desfalece de si mesma. Pense nisto: o que tenho buscado como alimento para a florescência da minha vida?

Abraços   ****

Vivi

 

SER UM AGENTE DE UNIÃO

Vida é movimento. Vida é conexão. Biologicamente, são as conexões sinápticas que impulsionam as passagens de informações neuronais. Boas conexões relacionais, são facilitadoras de vida e do viver. Ser um agente de união, é ser um facilitador conectivo. Um agente de união e conexão, é aquela pessoa, muitas vezes silenciosa, mas que favorece o florescimento da vida, ou seja, abre os espaços necessários às relações saudáveis que impulsionam os vínculos afetivos. Ser um agente de união, é ser um agente que faz a vida florescer com todo o seu potencial.

Abraços   ****

Vivi

 

RESSENTIMENTOS …

O ódio e o ressentimento interrompem completamente a germinação da vida. Quem alimenta estes sentimentos acaba por ficar aprisionado pelos remédios tarja preta, pelas igrejas e gurus, por ideologias corrosivas da vida, por toda a toxidade do odor infecto que estagna a vida. Cuidar para compreender e para deixar as amarras tóxicas dos ressentimentos, é trilhar os caminhos salutares da vida. Alimentar na alma ressentimentos, é como viver à beira de um precipício, em que a qualquer momento um passo em falso destrói a própria vida. Qual é a vantagem?

Abraços    ****

Vivi

 

O  AMOR

O amor que ama incondicionalmente, que ama e compreende, precisa do respeito e da admiração. O amor verdadeiro é invulnerável ao ataque e jamais perde na defesa. O amor é portador de uma grande força de transformação. Só o amor livre, verdadeiro, honesto, humilde, é capaz de se entregar na confiança do amar, do cuidar, do respeitar, apesar dos desafios. O amor que nasce de uma consciência livre de subterfúgios, é aquele sentimento que alimenta e nutre o bem, a bondade, o profundo e silencioso respeito. É o amor que admira e ao mesmo tempo tem a força para sustentar esforço, entrega, sustentação, esperança e a ética.

Abraços   ****

Vivi