SERENIDADE

A serenidade da mente e do coração depende de um compromisso interno com a preservação da vida. Ser sereno, é ser vigilante ao pensar, ao sentir e ao agir. Serenidade não significa perder a alegria, os sonhos ou a espontaneidade. Ser uma pessoa serena, é ter a coragem de viver a alegria desprovida de conveniências. Uma alegria que nasce de um estado interno de compreensão, de bondade amorosa, de uma atitude interior que preserva a dignidade humana e a dignidade da vida.

Abraços   ****

Vivi

 SENSAÇÃO  DE  DESORIENTAÇÃO

Em meio a um ritmo altamente acelerado de disrupção tecnológica, diante de um sistema político que não consegue acompanhar as linguagens da tecnologia da informação, frente às mudanças institucionais onde os modelos já não atendem as demandas, a sensação de desorientação ganha contornos inimagináveis. Fica evidente a ação do coletivo sobre o indivíduo. A sensação de desorientação, paralisa, confunde, desorganiza, gera insegurança, gera desconfiança e até a perda de identidade. Quando as pessoas têm um modelo a seguir, de alguma forma sentem-se orientadas. Quando os referenciais norteadores perdem força, a sensação de desamparo, de incompetência, de fragilidade emerge, criando uma necessidade de urgência para obter um modelo a seguir. Estes cenários tendem a forçar estruturas rígidas como sendo a única solução para sair da incerteza, da sensação de desamparo. Quando a história chega neste capítulo, é necessário muita atenção para não se deixar enganar. A disponibilidade para entender e querer compreender com lucidez, é fundamental para encontrar as vias de orientação.

Abraços   ****

APENAS OBSERVE

Pare, pause, respire, se acalme e apenas se observe! Nada mais! Observe a si mesmo mas, apenas observe. Silêncio! Não julgue, não avalie, não crie expectativas, não espere nada, apenas e simplesmente se observe. Com uma mente clara e um coração amoroso, seja gentil consigo mesmo e apenas se observe, nada mais além disto. Aqui está um segredo que todas as tradições, do oriente e do ocidente, desde os tempos mais remotos, deixaram este legado de sabedoria à todas as pessoas que procuram a paz interior. Apenas se observe, siga a sua respiração sem julgar. Respire cordialmente, nada mais além disto!

Abraços ****

Vivi

 

 

 

SABEDORIA

“ … A perfeita sabedoria não é premeditada. A maior delicadeza é livre de qualquer formalidade. A conduta perfeita é livre de preocupação. O amor perfeito dispensa as demonstrações. A perfeita sinceridade não oferece qualquer garantia.” Chuang Tzu  Estas e tantas outras reflexões trazidas por Thomas Merton, um religioso dedicado ao diálogo entre as grandes religiões, apresenta as vias do encontro do humano em sua própria casa, a casa do silêncio interior. A simplicidade dos versos de Chuang Tzu, ultrapassam a linha do tempo. Pelo despojamento de si, pelo silêncio, pela humildade, o encontro com o divino mistério acontece. Ouvir é silenciar e silenciar, é a sabedoria do ouvir. É uma recusa à agressividade, à ambição, aos atropelos, à importância em demasia dada a si mesmo.

Abraços   ****

Vivi

DISPONIBILIDADE PARA RECONHECER

O corpo humano vivo, em sua dinâmica repleta de expressões, a todo momento nos oferece subsídios para o nosso autoconhecimento. Somos um corpo, vivemos através de um corpo vivo com toda a sua magnitude. A todo instante este corpo se revela através das expressões faciais, do tom de voz, dos movimentos das mãos, dos odores, do pulso cardíaco e respiratório, informando a nós mesmos onde estamos e como estamos. É um verdadeiro “radar”, um centro de informações bioquímicas nos informando da pessoa que somos. Estes sinais, ao serem reconhecidos podem nos auxiliar como podemos nos manejar na vida de forma mais salutar. Quando reconhecemos as informações somáticas com a atitude de um pesquisador de si mesmo, podemos lapidar o diamante existente dentro do nosso ser interior.

Abraços   ****

Vivi

 

 

QUANTO MAIS PERTO …

Quanto mais perto de você, mais próximo estará da sua consciência. Construir uma amizade interior é se aproximar do significado da vida. Quando você é capaz de pausar, respirar e acompanhar com a sua atenção a sua respiração, poderá perceber que tudo passa. Compreenderá a impermanência da vida. Apenas respire com atenção focada, mas, seja gentil e amoroso consigo mesmo. Perceba que os pensamentos são fugazes, eles passam como as nuvens do céu. Seja amigo de si mesmo, se aproximando de si mesmo, percebendo a riqueza do seu interior. O silêncio interior, acolhe a preciosidade da vida na amizade sincera através do ar que entra e sai de si mesmo. Simples assim!

Abraços   ****

Vivi

QUANDO NOS DIVIDIMOS …

Quanto mais nos dividimos mais difícil fica! A questão não é exatamente a divisão, o problema é quando a divisão gera enfrentamento. Tanto na vida interior e pessoal, como na vida relacional enquanto comunidade humana, se soubermos reconhecer com empatia as nossas diferenças não estaremos na competição da polarização. Contudo, se dividirmos, separamos as partes e as colocamos umas contra as outras, o sofrimento acomete e toma conta. A vida é a vida. Ela é como é. Se reconhecermos as partes e ao mesmo tempo, entendermos que todas as partes são importantes para compor um todo integrado, temos a chance de viver com mais plenitude, viver com mais saúde. Caso contrário, sofremos todos.

Abraços   ****

Vivi

DIFÍCIL  TRAVESSIA …

Quando a decisão foi tomada e a travessia rumo ao novo se inicia, há que atravessar, mares, turbulências, instabilidades, alguns momentos mais encorajadores outros tantos de perplexidade e incertezas. São experiências profundas que podem marcar uma existência. Contudo, quando a travessia já começou não há como voltar, pois, o velho caminho já desapareceu do cenário. O momento mais difícil de uma travessia interior, é quando ainda não visualizamos a outra margem e a margem de onde saímos não conseguimos mais enxergar, já se foi. Este é um momento difícil inegavelmente mas, de grande energia, de grande potencial. É o momento do contato com a força interior do ser pessoal. É o momento de revisão total de todas as escolhas feitas, de reconhecimento dos padrões automatizados. Aqui surgem perguntas, que se houver honestidade interna para enfrenta-las, poderão nos ajudar a encontrar a outra margem rumo a uma existência mais plena.

Abraços   ****

Vivi

 

EM MEIO A TANTOS RUÍDOS …

Em meio a tantos ruídos externos carregados de incertezas, associados aos ruídos internos da mente humana, ter um eixo de referência pessoal tem sido da máxima necessidade. Reconhecer as múltiplas vozes internas e os mais diferentes ruídos do mundo externo, saber dar uma certa distância para encontrar espaços para pensar, é mais que um compromisso social, é um compromisso com a saúde pessoal. Se não houver um sujeito pensante, capaz de distinguir entre as coisas do mundo externo e as falas pessoais do mundo interno, o mal se banaliza, a “besta humana” se potencializa, perde-se o bom senso, a esperança nos abandona, o medo ressentido se instala. Cuidado!!! Atenção é um bem valioso! Quando se perde o sentido e o significado da vida e da existência, a morte de uma consciência já se faz presente.

Abraços   ****

Vivi

 

FANTASIAS  E  CORPO

A mente humana com todas as suas histórias, memórias, sentimentos e emoções, pensamentos que insistem em serem pensados, constrói em grande produção, fantasias imaginadas. Podemos ousar em dizer que, esta “máquina” interna se mantém em atividade o tempo todo, produzindo histórias que são narradas na tentativa de nos convencer da veracidade destas histórias. Entretanto, sabemos perfeitamente que são apenas cenários fantasiosos criados por uma mente ruidosa, ansiosa ou agitada. Diferentemente das experiências reais, sentidas, vividas, experimentadas pelo corpo vivo. As experiências reais são as experiências corpóreas. Com atenção, é possível reconhecer as informações do corpo como calor, frio, sede, desconforto, fome, sono … Estas, quando reconhecidas são reais. A sequência de pensamentos que se encadeiam uns nos outros são apenas imaginados. Cabe a pergunta: qual é o sentido de se valorizar tanto e acreditar em algo desprovido de veracidade?

Abraços   ****

Vivi