A ARTE DE ACEITAR

Aceitar com atitude de aprender é diferente de aceitar com atitude de resignar. A resignação empobrece, fecha as passagens, obscurece a consciência. Aprender é abertura, é ampliação de percepção, é transformação e renovação. A resignação rouba a esperança; a atitude de aceitação como aprendizagem, traz a paciência e a resiliência. A arte de aceitar os desafios da vida, comporta a compreensão da realidade. É quando os desafios passam a ser uma oportunidade, para crescer e aprender a ver novas formas de se reconhecer e reconhecer o mundo. Aprender a ver novas maneiras de trabalhar o corpo, os pensamentos, os sentimentos, as percepções. A arte de aceitar inclui a alegria, o sorrir para a vida, para as coisas mais comuns do cotidiano e reconhecer que, o estado de satisfação ajuda a manter o equilíbrio e o brilho, para continuar a jornada da vida e do viver, através de um olhar confiante.

Abraços   ****

Vivi

VIDA É FLUXO …

A vida é fluxo e está sempre em fluxo. O que pensamos ser permanente é apenas temporário, e tudo está em constante mudança. A compreensão desta realidade é fundamental para aprendermos a lidar com as incertezas e compreender a necessidade de estarmos no controle do viver. Se entendermos que as mudanças fazem parte da dinâmica do vivo e portanto, da vida, temos a possibilidade de entendermos que a vida não é uma ameaça constante. Se acreditamos que viver é uma ameaça, queremos o controle para evitar o desconforto da dor, do sofrimento da perda, do medo da  insegurança e da própria incerteza. Somos vulneráveis mas, muitas vezes a sensação de vulnerabilidade diz respeito à nossa inadequação à realidade do existir e ainda, aos níveis de ignorância que resiste à compreensão. Viver não é desastre! Se há agitação há também calma; se há desconforto há também sensação de conforto; se há desesperança há também grandes esperanças; se há tristeza também existe a alegria. Se tudo é fluxo, é mudança, é pulso, a questão é aprender a compreender e saber viver no fluxo vital. É acessar em nós mesmos a força interior dentro de si mesmo e crescer na sabedoria.

Abraços   ****

Vivi

MAIORES FONTES DE ESTRESSE

Apesar de existirem fontes estressoras de grande relevância, pesquisadores sinalizam que as maiores fontes de estresse se localizam nos pequenos acontecimentos. É natural que tenhamos preocupações com os problemas importantes de nossas vidas mas, são as reações aos acontecimentos menores  que ameaçam nossa necessidade de controle. Ao hiper valorizarmos as situações muitas vezes insignificantes do cotidiano, acabamos tendo contato com sensações que interferem na necessidade de mantermos o controle das circunstâncias. Pequenos acontecimentos podem se tornar grandes ameaças, gerando respostas agressivas simplesmente pelo não reconhecimento de que nem tudo está sob o nosso controle na vida. Estas respostas hostis se tornam altamente estressoras, comprometendo o equilíbrio do corpo,das emoções e das relações de convivência. Estar atento a estas reações, é de fundamental importância para saúde pessoal, para o bem estar, para a saúde dos espaços por onde convivemos. Cuidado com as pequenas irritações, elas podem se tornar a causa de grande parte do estresse vivido no cotidiano. Portanto, atenção e cuidado com a dramaturgia!!! A incerteza faz parte do cenário da vida e do viver.

Abraços    ****

Vivi

CONSCIÊNCIA SEM JULGAMENTO

Trazer e sustentar a consciência no presente de cada momento no viver, é fruto de uma atitude interna que almeja uma vida com mais qualidade e bem estar. Com dedicação e clareza de propósitos, é possível através da prática permanente e sistemática da plena atenção “estar à vontade na sua própria pele”, na afirmação de Jon Kabat-Zinn. Atenção no presente de cada instante, estando consciente desta presença através de uma consciência bondosa e desprovida de qualquer julgamento, tem sido apontado como um caminho para uma vida saudável. Situações estressoras fazem parte do viver, com maior ou menor intensidade de acordo com as circunstâncias, o desafio é estar atento e saber que é possível moldar o momento presente. Atitudes recorrentes de julgamento, acabam reforçando o estresse e ainda, criando mais estresse. Quando mudamos a nossa atitude perante o estresse, é possível evitar seus efeitos deletérios. A carga emocional que acompanha os desafios vividos, podem ganhar o peso da dramaticidade causando mais confusão, impedindo que a mente criativa encontre as soluções favoráveis. Atenção ao momento presente, através de uma consciência que se disponibiliza intencionalmente e de boa vontade em aprender e manter a sua saúde integral, é transformador para si e para os que estão à sua volta.

Abraços    ****

Vivi

SOLUCIONAR  OU  PUNIR

Um simples pergunta: o que queremos, na vida pessoal e social –  solucionar ou punir?  Encontrar soluções viáveis ou castigar pelo castigo? Culturalmente as relações foram intensamente  pautadas na punição. A história evidencia  a crença irrestrita na punição. Acredita-se que punir e castigar aquele que cometeu uma ofensa ou um ato contrário aos parâmetros culturais deve ser punido, castigado, isolado, torturado e até eliminado. A mesma história evidencia que esta conduta gera mais confrontos e não traz nenhuma possibilidade de solução. A vontade de punir e castigar tem estado arraigada nos discursos, nas narrativas, no comportamento das pessoas e tem sido,  intensamente utilizada pelas mídias nas “falsas verdades”, gerando mais confronto e nenhuma solução. O espetáculo do castigo, pode favorecer as crenças fascistas que servem à guerra em nome da paz. Se queremos um mundo com mais dignidade e respeito, se queremos um mundo mais digno para os nossos filhos, nossos netos e para os netos dos nossos netos, precisamos querer compreender, querer ouvir para compreender, dialogar honestamente e encontrarmos juntos soluções para as vaidades humanas.

Abraços   ****

Vivi

AMEAÇA E DESAFIO

Sentir-se ameaçado é diferente de sentir-se desafiado. São respostas somáticas, cognitivas e emocionais diferentes. Ameaças provocam medo, distanciamento, afastamento, paralisa o movimento como uma resposta protetiva. Com a perda de potência, a criatividade fica interrompida e não consegue encontrar os caminhos de saída. Ameaças são assustadoras. Ambientes ameaçadores e relações ameaçadoras, geram o estresse crônico, altamente deletério para a saúde do corpo e da mente. Completamente diferente são as respostas somáticas e psíquicas frente aos desafios. Estes podem ser alavancadores da potência vital, geram criatividade para encontrar o novo e acessar competências que muitas vezes estão disponíveis mas não são acessadas. Os desafios fazem parte do viver e podem impulsionar espaços de talento, de saberes, de habilidades, que ainda não tiveram a oportunidade de se tornarem conscientes. Embora que, no primeiro momento um desafio possa parecer ameaçador, ele apresenta saídas criativas que podem conduzir à autorrealização. Os desafios são oportunidades de ampliar a potência vital, enquanto que a ameaça subtrai a vitalidade. Ter consciência plena para distinguir um do outro, é fundamental para o bem viver bem. O que me ameaça e o que me desafia no viver? Saber distinguir e agir com sabedoria, favorece a saúde do corpo em suas respostas metabólicas e o sistema imunológico, frente às reações de estresse. Distinguir entre ameaças e desafios, favorece a saúde da mente, do saber pensar bem, do estar atento aos pensamentos que alavam a criatividade. Reconhecer os pensamentos que destroem a potencialidade e se expressam através dos padrões mentais recorrentes, nas atitudes pessimistas da imaginação, que não condizem com a realidade. A distinção entre situações ameaçadoras e situações desafiadoras, favorece a saúde emocional pela liberdade de escolher agir com discernimento e sabedoria. Ter a clareza para reconhecer o que me paralisa e o que me promove, é fruto de uma percepção ampliada que busca a compreensão de si e do mundo.

Abraços    ****

Vivi

DESOBEDECER O MAL

A desobediência do fazer o mal, fruto de uma escolha absolutamente pessoal, expressa a liberdade de uma consciência comprometida com um “dever” ético. “Apostar naquela consciência que, embora lânguida, só ela pode instilar a responsabilidade de desobedecer ao comando de fazer o mal.” Zygmunt Bauman Apesar de todas as forças internas dos padrões mentais, comportamentais e hábitos culturais, de todas as forças externas do meio a serviço de ideologias avessas ao bem comum, é no espaço da consciência que a escolha da desobediência ao mal acontece. Resistir com todas as forças e escolher desobedecer de fazer o mal a quem for. Só uma consciência livre dos automatismos da impulsividade é capaz de optar pela desobediência de fazer o mal. Mesmo desarmada frente a unanimidade de tudo e de todos que a cercam, é capaz de assumir o seu poder pessoal de resistência e desobediência pacífica a partir de um compromisso com uma lei interna, impossível de ser transgredida. O valor da ética está acima, transcende as fraquezas, quando a clareza do compromisso responsável é mais contundente numa consciência. A cura das fraquezas morais se encontram no mais profundo de uma consciência. Somente ela, é capaz de escolher ser desobediente ao mal para ser capaz de ser ético com a sua própria consciência. Aqui mora a liberdade, que é capaz de ser livre porque equânime e equânime, porque fraterna.

Abraços   ****

Vivi

IMAGEM DE SI E DESTINO PESSOAL

A imagem que uma pessoa tem si mesma, como ela vê a si mesma e como ela se vê no mundo,no seu fazer, nas suas relações, seus trânsitos, são todos elementos que de alguma forma determinam seu “destino”. A imagem de si traça um destino pessoal. Escolhas e decisões, condutas, formas de pensar de agir e de estar no mundo, são determinantes de um futuro, afinal, colhemos o que semeamos. Ter consciência de si mesmo não é tarefa fácil, assim como ter consciência do que se quer e do que não se quer em uma existência, não é algo tão simples, sobretudo se vivemos em um mundo com intensas demandas e excessivas avalanches de informações. O autoconhecimento requer um mergulho interior comprometido com a honestidade, com a verdade, com a realidade do viver. Imagens são construídas a partir de memórias, de experiências vividas, de ambientes, de culturas com as quais uma pessoa está imersa desde a sua concepção. O autorreconhecimento está associado ao emocionar, às visões de mundo, a forma como uma pessoa se faz presente no mundo em que vive e convive. A imagem que uma pessoa constrói de si mesma ao longo de sua existência são direcionadores de conduta, de presença, de abertura ou fechamento para aprender, renovar e transformar. Conforme as experiências, as memórias, a maturidade, a capacidade de ampliar a percepção de si e do mundo, a pessoa irá construir a sua trajetória em seu viver que alguma forma, determinará o seu futuro. A disponibilidade para aprender, para ampliar a percepção, para estabelecer conexões, para adaptação e adquirir novas habilidades, são indicadores de um destino pessoal,de um futuro pessoal. A vida é como ela é, mas as escolhas são pessoais.

Abraços   ****

Vivi

CALMA E SATISFAÇÃO

Em tempos onde transitar nos grandes centros urbanos se tornou  ameaçador, onde o andar nas ruas movimentadas e agitadas nos fazem sentir inseguros, associado à intensa autocrítica e à vergonha que também são ameaçadoras, muitas vezes por não conseguirmos sucesso material e posição social, o sistema emocional se desequilibra gerando perdas em nossa saúde física, mental e relacional. Tanto a neurociência, como a psicologia ocidental contemporânea, como as práticas contemplativas orientais, indicam que a direção para retomar um estado de equilíbrio, está na capacidade de nos mantermos atentos às nossas emoções e às respostas, diante das situações ameaçadoras. O cultivo permanente e sistemático de um estado de calma e satisfação, tem contribuído para restabelecer o desequilíbrio emocional e as consequências disfuncionais geradas por este estado. A gratidão é um sentimento que pode transformar estados desarmoniosos em estados saudáveis. Ser grato não é apenas um gesto de educação e polimento mas, também e sobretudo, uma oportunidade que oferecemos ao sistema nervoso informando-o que o sistema de satisfação neuronal não está sob ameaça. O cultivo da gratidão favorece a empatia e a empatia, alimenta a compaixão. Compreender e reconhecer os estados emocionais e agir com clareza de propósito, tem sido um caminho fundamental para recuperar a saúde do corpo, da mente e das relações intrapessoais e interpessoais.

Abraços    ****

Vivi

O MEDO E A PAZ

A emoção do medo no contexto evolutivo apresenta uma função protetora, evitando que a vida possa correr riscos. Diante de uma ameaça é melhor evitar o perigo! Mas também o medo pode gerar impulsividade para o ataque, também como medida protetiva. Fato é que, conforme o histórico pessoal, as memórias, o ambiente relacional ou territorial, inúmeras respostas e reações podem emergir. Uma pessoa com medo pode se sentir acuada e paralisar-se diante de uma situação. Pode criar cenas mentais que não condizem com a realidade gerando mais insegurança, que geram ansiedades e contextos altamente deletérios. Uma pessoa com medo está distante de sua paz interior. Ambientes onde o medo de ameaças são fortemente constituídos, não pode haver paz, harmonia, equilíbrio, discernimento ou bom senso. O medo é a face oposta da paz. Um estado interior pacificado, é um estado onde o medo pode ser enfrentado com dignidade e clareza, fazendo florescer a coragem, a potência, a criatividade. O medo impede a paz e a paz, traz a coragem diante dos desafios e dilemas do viver. Reconhecer o medo já é em si mesmo um processo de busca de um equilíbrio interior.

Abraços   ****

Vivi