PARE OLHE PENSE !

Em tempos acelerados, na corrida frenética por informação, inovação, realização financeira, a “miopia” do olhar e do pensar, pode ser uma fonte disseminadora e propagadora de hostilidades e violências. A biologia evolutiva sinaliza que o humano precisa sobreviver e reproduzir. Com este mote biológico e ancestral, as pessoas correm desenfreadamente a procura de um espaço qualquer, para se “apresentar” no palco das representações dos egoísmos maledicentes. Neste espetáculo muitos são os “pagantes”, os espectadores que apenas querem marcar presença na corrida desenfreada de uma competição predatória, jogos de vaidades. A espetacularização das projeções egóicas caminham pela aceleração das insatisfações, pela cegueira das prepotências arrogantes e pela incapacidade de refletir e de pensar criticamente. O pensamento crítico conforme sugeriu Paulo Freire, requer um olhar honesto e de boa vontade para fazer conexões, contextualizações, inclusões, correlações, links. Um olhar ampliado com amplitude de percepção requer pausa, lentidão, silêncio, para dar tempo ao cérebro processar informações, imagens, narrativas, memórias, histórias, impulsos. Parar e desacelerar, olhar e ver a realidade factual, pensar e pensar bem, refletir e contextualizar, são ingredientes fundamentais para garantir a qualidade das relações intrapessoais e interpessoais. Grande parte dos atos de violência, das insinuações céticas, do cinismo intolerante, das projeções mentais, advém da falta de reconhecimento do quanto nós humanos, estamos sendo capturados pelas falsas aparências, pelo teatro capitalista que corrompe nossos corpos e nossas “almas”, nossas relações, nossos ambientes e nossas vidas. Então: PARE, OLHE E PENSE com clareza, com honestidade e boa vontade.

Abraços    ****

Vivi

O SABOTADOR MANIPULADOR

A capacidade cognitiva do humano é altamente equipada para ser um bom articulador. A imaginação cria cenários, os mais diversos. A narrativa constrói estruturas de pensamento que justificam, convencem, camuflam, controlam e até engam. Os desejos incontroláveis da cobiça, da inveja, dos ressentimentos, da retaliação são combustíveis que alimentam o fogo das paixões e das iras. As formas desejantes nunca cessam. Os desejos se nutrem de mais desejos, que são alimentados pelos padrões de pensamentos que projetam e deturpam a realidade, conforme os interesses e conveniências pessoais. São muitos os sabotadores internos, que estão sempre se articulando através das formas corruptoras da corrupção, que tendem ao convencimento manipulador.  O sabotador manipulador nasce na mente humana e se fortalece na mente humana, através do auto engano. As formas corruptoras do macro se iniciam e ganham força no micro. É na mente humana que o teatro das representações nascem e ganham força, para se manifestarem no mundo externo. Como sair destas formas altamente deletérias para a saúde pessoal e coletiva? Para responder a esta questão, todas as tradições religiosas apresentaram seus caminhos. A psicologia igualmente, a psiquiatria igualmente, a filosofia, os artistas, poetas e escritores mas, ainda o humano se encontra atrelado em padrões mentais destruidores de si de seus iguais. São padrões perversos que confundem e cegam a pessoa em si mesma, como também, confundem os ambientes gerando desconfianças e insatisfações, então … Atenção! Boa vontade! Bem querer! Presença! Só é possível sair do labirinto por cima! É preciso primeiro tomar consciência e ao mesmo tempo, assumir responsabilidade.

Abraços ****

Vivi

A ARTE DE MANIPULAR

Em tempos conturbados, manipular pessoas tem sido uma estratégia bastante utilizada para servir aos interesses pessoais ou de alguns grupos, conforme suas conveniências. Estamos na era da pós-verdade, onde as técnicas para mentir e controlar opiniões, induzir e se apropriar indevidamente de algo ou alguma coisa, tem sido intensamente utilizado pelas mídias e pelas pessoas. Seduzir é uma arte! O teatro e os grandes atores, são os mestres na arte da representação, da sedução e da manipulação. Escritores, pensadores, filósofos,ao longo da história deixaram um legado de como se faz e como se processam as manipulações de idéias, linguagens, narrativas, criando falsas verdades. Os boatos quando bem trabalhados se espalham facilmente. Eles são capazes de criar falsas crenças, a partir de uma falsa verdade, que por sua vez acaba por convencer pessoas e grupos. Manipular é também a arte de enganar. Ocorre que, estamos na era do engano ou será que ela já começou há muito tempo e apenas não nos demos conta? Esteja atento e preste atenção! Sempre é bom lembrar: as sabotagens e os mecanismos sabotadores começam com a auto sabotagem! O sabotador constrói para si um discurso, muito bem articulado e acaba por se convencer da veracidade. O sabotador sabe manipular. Cuidado! Atenção!

Abraços   ****

Vivi

UM CORAÇÃO QUE PULSA …

É inegável que um dos aspectos da cultura ocidental tem sido negar, esconder ou camuflar as emoções. Quando se trata de medos, inseguranças, frustrações, decepções, ressentimentos, fracassos e fraquezas, angústias, incertezas, perdas, incompetências, as regras implícitas das relações sociais sugerem claramente que, estes sentimentos devem ser guardados, não explicitados e nem mesmo reconhecidos. A negação destes sentimentos tem causado inúmeros transtornos pessoais e sociais, comprometendo a saúde das relações de convivência, dos laços afetivos e a saúde pessoal. Doenças autoimunes, o pânico, a depressão, alergias as mais variadas, as afecções da pele, as cefaleias e enxaquecas, transtornos gástricos, a fibromialgia, a insonia, tensões musculares, transtornos da atenção e tantas outras, tem sido compreendidas como consequências emocionais não resolvidas e que são somatizadas. Numa sociedade onde não cabe o fracasso, como lidar com ele uma vez que todas as respostas emocionais fazem parte do conjunto das emoções de todos os seres humanos? Se não há reconhecimento das emoções aflitivas também não há como transformá-las. Quando negamos nossas emoções negamos também a cura. Todas as emoções tem uma função para o ser humano, para o funcionamento orgânico e para a vida. A questão não é negar mas, reconhecer para transformar pois, somente assim teremos a chance de saber como responder às diversas emoções.

Abraços    ****

Vivi

EDUCAR  E  EDUCAR-SE

Educar é um exercício contínuo que exige  extrema coerência. Para ser coerente, é necessário ter clareza dos propósitos e ainda, profundo comprometimento com eles. É um ato de atenção e discernimento. Educar é um ato de disciplina pessoal. Disciplina a partir de uma escolha em liberdade. Educar e educar-se é,  uma ação permanente, quase um “orai e vigiai”.  É um ato ético onde a verdade do “SIM” e do “NÃO” é um compromisso com a reta conduta na preservação dos valores universais. Educar e educar-se é um ato de coragem e justiça, de empatia e compaixão. É a união entre o corpo e alma, entre o sentir, o pensar e o agir no ambiente pessoal no mais íntimo do humano e no ambiente relacional, com tudo e com todos conjuntamente na dinâmica permanente da vida. Coragem!

Abraços    ****

Vivi

ONDE ESTÁ A FELICIDADE?

Toda pessoa humana almeja e quer ser feliz. A felicidade está alicerçada sobre dois pilares fundamentais: um nível psicológico e um nível biológico. Do ponto de vista psicológico, sob uma ótica, a felicidade está atrelada às expectativas, onde o contentamento está   vinculado à relação entre o que a realidade nos apresenta e as expectativas criadas. Lembrando que à medida que as condições melhoram, as expectativas aumentam e o pêndulo balança entre a satisfação e a insatisfação. Do ponto de vista biológico, há uma relação entre o prazer e dor. As ciências biológicas afirmam que a felicidade e o sofrimento são as diversas sensações corporais. Estamos felizes quando temos sensações de prazer e infelizes, diante das sensações desagradáveis e dolorosas. Ocorre que o prazer é uma sensação de curta duração. Biologicamente no que tange ao processo evolutivo, estamos aptos a manter a sobrevivência e a reprodução da espécie. Buscamos o prazer e a satisfação para sobreviver e reproduzir juntamente com o sistema hormonal e neuroquímico, em que o cérebro envia suas mensagens ao corpo para mantermos a vida. O cérebro se responsabiliza em produzir sensações de vigilância e de excitação para manter o sistema. Como as sensações agradáveis são passageiras, o humano vai sempre em busca de mais satisfação e aí as pessoas são capturadas pelas drogas lícitas e ilícitas com todos os transtornos e consequências de seu uso indevido. Do estresse ao tédio, as pessoas se mantém numa corrida alucinante na busca bioquímica da felicidade. Então, onde está a felicidade? Talvez valesse a pena uma reflexão: será que, para buscar a real felicidade nós humanos tenhamos que acelerar ainda mais em busca de sensações agradáveis, ou apenas desacelerar. Enquanto a felicidade estiver associada às sensações prazerosas as pessoas não conseguirão encontrar  um espaço interior de bem-estar-bem.

Abraços    ****

Vivi

 

A PÉROLA ESTÁ NAS PROFUNDEZAS

Para encontrar a pérola “sagrada” é preciso mergulhar profundamente. Quem honestamente, realmente quer se encontrar, encontrar-se consigo mesmo, com a sua verdadeira natureza, terá que mergulhar em suas profundezas. Na superficialidade das rotinas automatizadas do cotidiano, não há como fazer contato com o mais íntimo, o mais profundo da natureza humana. Há que ter coragem e humildade, determinação e paciência, honestidade e entrega, para reconhecer os espaços sagrados da alma humana. O encontro com o centro oculto do si mesmo, está no silêncio interior das águas mais profundas. O mergulho em si mesmo, é uma experiência de liberdade. Muitos mestres ao longo da história humana, em todas as tradições espirituais, do ocidente e do oriente, já apontaram o caminho. Entregar-se a si mesmo, deixar ir o mais rude e o mais grosseiro, para conectar-se com a consciência plena, que está e sempre esteve, é em si mesmo uma trajetória libertadora. A pérola sagrada está nas profundezas!

Abraços   ****

Vivi

VALORIZAÇÃO DA VIDA

A Declaração Universal dos Direitos do Homem, adotada pela Organização da Nações Unidas (ONU) após a Segunda Guerra Mundial, declara categoricamente que o “direito à vida” é o valor fundamental da humanidade. Esta “Constituição Global”,  ressalta a valorização da vida humana como um valor supremo, adotado pela cultura contemporânea. A valorização da vida, e a valorização da vida humana, é um valor “sagrado”. Sendo a vida um direito de todos, a violação deste direito passa a ser um crime contra a humanidade. Proteger a vida em todas as suas manifestações, passa a ser um compromisso imperativo que toda a humanidade deveria assumir em suas comunidades e em suas vidas pessoais, onde o Estado estaria à frente como defensor deste direito fundamental e irrefutável. Esta, portanto, é uma tarefa de responsabilidade tanto do público como do privado, do coletivo ao indivíduo, do institucional e do pessoal. A ciência e os cientistas, tem se dedicado em suas pesquisas para garantirem a vida e a qualidade da vida mas, ainda somos assolados por uma mente ignorante em seu egoísmo, que insiste em disputas e ressentimentos que ameaçam a todo instante a vida humana e a vida do planeta. A biociência, a nanotecnologia, a engenharia genética, a medicina regenerativa pesquisam os meios para garantirem uma vida com qualidade. Sendo a vida um valor, ela deve ser preservada e protegida, através da ampliação da consciência viva de que somos todos filhos desta vida e vivemos todos juntos em nossa casa comum, o planeta vivo. Talvez aqui esteja a centelha da sacralidade!

Abraços   ****

Vivi

O CARÁTER NA DEMOCRACIA

Se a democracia é o governo do povo para o povo, é fundamental um “povo” que valorize o seu caráter através do compromisso com a virtude. Sem caráter, sem temperança, sem a virtude da polidez, da justiça, da honestidade, da coragem, não há como sustentar um processo democrático. A democracia depende da ética. Um governo democrático precisa das leis, das normas de conduta mas, estas precisam estar alicerçadas num compromisso pessoal, muito mais do que num dever Kantiano. O respeito ao outro e o compromisso com o bem comum, depende muito mais de um valor conquistado internamente do que do cumprimento de regras e normatizações. Quando os cidadãos escolhem seus representantes, estes representantes muito antes de assumirem seus cargos, são e sempre serão, cidadãos comuns. Como cidadãos, nenhum representante escolhido por um regime democrático poderia desconsiderar sua responsabilidade frente ao povo que o escolheu. A democracia depende do caráter de seus cidadãos que por sua vez, depende da ética. A política em sua essência, é o exercício da justiça, da honestidade, do respeito, da coragem. A temperança é a capacidade do discernimento cultivado na práxis do viver democrático e a coragem, é capacidade de dizer “não” a tudo que possa comprometer a democracia ou seja, o povo. Assim como os cidadãos, a democracia também está em processo de construção de si. A maturidade depende de um compromisso com uma “regra” estabelecida internamente, pela vontade que almeja, que aposta, que resiste e assume ser uma conduta, que não se deixa ser levada pelas leviandades ou maldades da face perversa do egoísmo. Jamais poderá haver democracia se não houver ética. A ética é fruto do casamento entre um caráter com uma sabedoria.

Abraços   ****

Vivi

NOVOS  DESAFIOS  NOVAS  RESPOSTAS

Inegável é a realidade que se apresenta a cada dia diante de nossos olhos: novos tempos, incertezas  diante do futuro, momentos de indecisão … Muitos são os desafios e poucas são as perspectivas de solução a médio prazo. O que fazer? O que realmente queremos? Qual é a minha responsabilidade diante deste cenário? Enquanto cidadãos e pessoas humanas vivendo e convivendo aqui com esta realidade, dois aspectos são fundamentais: desistir jamais, portanto resistir e persistir sustentados em valores e propósitos alinhados com a ética e a legitimação de todos os cidadãos, sem nenhuma distinção, em plena igualdade  de direitos e deveres, afinal somos todos iguais perante a lei e perante a vida. Segundo, alimentar um profundo senso de responsabilidade e  compromisso com a verdade, compromisso  com a realidade dos fatos, sem subterfúgios , dissimulações, enganações, preferências, paternalismos, meritocracias. Novos desafios exigem respostas éticas, exigem reta conduta, exigem  um olhar que vê  aquilo que é real, sem escapismos ou enganações ideológicas. Estamos diante de modelos que não funcionam mais em todas as dimensões, do pessoal ao coletivo. Os valores pessoais são os valores sociais afinal, uma sociedade se  faz e se constrói com seus cidadãos. O que cultivo na minha casa é o que cultivo na rua, no supermercado, no trânsito. Se engano a minha alma, engano o meu filho e engano meus companheiros de trabalho. O social é reflexo do pessoal. Novos tempos, novos desafios que exigem novas posturas. Há que ter a coragem de ver a realidade e agir .

Abraços   ****

Vivi