COMPORTAMENTOS PRÓ-SOCIAIS

Pesquisas científicas tem evidenciado que a capacidade altruística é intrínseca à pessoa humana.  Quando os comportamentos altruístas, são valorizados e estimulados pela educação formal e familiar e pelos ambientes e o meio social onde nasce, cresce e se desenvolve uma criança, um jovem ou um adulto, as atitudes solidárias naturalmente se potencializam. Embora que ainda tenhamos aqueles que insistem em afirmar que o ser humano é egoísta, a ciência tem demonstrado nas pesquisas, que esta afirmação não é verdadeira, mas, fruto de crenças culturais. Embora que comportamentos antissociais se manifestem na sociedade, são os comportamentos pró-sociais que perpassam o conviver entre os diversos grupos sociais e na sociedade em geral. “Os comportamentos pró-sociais evidenciam seus efeitos positivos sobre aqueles que ajudam, e ainda  contribuem para o bom funcionamento da sociedade em seu conjunto.” Esta é uma afirmação do pesquisador Hans Werner Bierhoff. Oferecer ajuda e colaboração às outras pessoas, cooperar, ser solidário no viver conviver, seja no grupo conhecido como na sociedade em geral, traz um efeito positivo para quem ajuda e para quem é ajudado, ou seja, dar e receber faz bem a todos.

Abraços   ****

Vivi

APRENDER SE FAZ FAZENDO

O processo de aprendizagem ocorre na ação do executar, afinal é fazendo que se aprende. O ato de repetir permite o exercitar, que permite ao sistema nervoso construir vias neuronais, recrutando as memórias e experiências vividas, fazendo seus “links”, promovendo o aprender. São vários os caminhos por onde se processa a aprendizagem. O corpo, os gestos, as posturas, a voz, as palavras, o pensar, o tom de voz, o ler, o ouvir, o escrever, o executar, o copiar, são todas atividades que percorrem as vias neuronais, inclusive os chamados neurônios espelhos. Este dispositivo do sistema nervoso, permite as respostas da aprendizagem pelo espelhamento, ou seja, vemos e repetimos, naturalmente. A aprendizagem também ocorre pelo exemplo daquele que, pelo seu posicionamento na relação é referência para aquele que aprende. Vemos e aprendemos pelo repetição ao que vemos. Portanto, somos todos responsáveis!!! Contudo aprender é fazer. Aprendizagem requer ação. Diria o grande sábio Confúcio: “Se me ensinarem algo, eu o esquecerei, se me mostrarem algo, talvez me lembrarei, se me pedirem para fazer algo, eu assimilarei.”

Abraços    ****

Vivi

… O QUE VINHA DE DENTRO

Mudar a direção de um olhar, se dar a chance de ver o mundo sob um outro ângulo, é algo que para muitas pessoas pode causar um certo estranhamento, um certo assustamento. A cultura tem nos apresentado um constante valor para o externo. Valorizamos as aparências, aquilo que está fora e acabamos absorvendo um olhar que vê apenas para fora de si. Temos sido treinados a olhar o mundo para fora. O que vale são os resultados apresentados. A cultura exige o cumprimento das metas traçadas. Temos que atingir as metas, não importa como nem de que forma, mas, temos que atingir as metas que uma burocracia propôs. Saímos de dentro de nós. Desabitamos de nós mesmos. Se quisermos olhar para dentro, para o nosso interior, não reconhecemos o caminho. De tanto olhar para fora, perdemos a referência da nossa própria identidade e nos mantemos buscando as referências no mundo exterior, nas aparências e regras ditadas por um mundo que serve apenas aos interesses de poucos. Onde estou? Quem sou?  Muitas vezes não nos reconhecemos e caímos na tragédia de um isolamento de si mesmo. Quem sabe se, o caminho da “cura” esteja tão próximo que, de tanta proximidade não conseguimos enxergar! Quem sabe, possamos acionar a nossa coragem de simplesmente pausar, para se ver, apenas se ver, sem julgar, sem se exigir, mas, apenas se observar, para se re-encontrar! Encontrar de novo, o novo em mim mesmo, um novo que vem dentro da alma. Revelar-se para si mesmo e poder se encantar consigo mesmo. Diria com sabedoria Tomie Ohtake: “cansei de pintar o que via, quis pintar o que vinha de dentro.”

Abraços   ****

Vivi

EDUCAÇÃO OU HABITUAÇÃO

Educar é o mesmo que se habituar? Educar é treinar o sujeito para executar tarefas e transmitir informações ou oportunizar experiências transformadoras onde o conhecimento possa emancipar a pessoa na sua integralidade pela reflexão e diálogo? Educar é afastar ou aproximar o ser humano da sua potencialidade? Sem a clareza destas reflexões, cairemos na habituação dos automatismos e condicionamentos de um sistema social normativo, que obscurece o pensar, impede o agir ético, que mais controla do que liberta. Quais são os verdadeiros propósitos da educação?

Abraços   ****

Vivi

EDUCAR É CONTEMPLAR O TODO

Educação não é fragmentação. Sendo a vida um todo integrado, mutável e interdependente, educar é pensar o vivo por inteiro, dentro dos organismos vivos em processo. É ter uma visão que contemple a integralidade e a complexidade da realidade. É pensar a história pessoal, inserida na história social, no espaço biológico, social, cultural. Educar é ser a esperança e ainda, a esperança de que podemos e precisamos reinventar a Educação. Pensar a Educação, é pensar na pessoa humana, no ser pleno, inteiro, vivo, participativo no mundo vivo em permanente transformação. Claudio Naranjo, médico, psiquiatra, professor e pesquisador propõe ” uma educação da pessoa inteira para um mundo total, visando entender o que nos acontece e o que acontece ao nosso redor.” Para mudarmos o mundo precisamos mudar a educação, mudar o modo como vemos o educar. Saber quais são os propósitos da educação dentro do contexto histórico onde vive, habita, age, interage o ser integral dentro da integralidade dos organismos vivos. Educar é promover uma consciência que seja livre e portanto, responsável.

Abraços   ****

Vivi

O AMOR

 “O Amor é a única coisa que dobra a cada vez que o damos.” Albert Schweitzer. Embora que já tenhamos esta experiência em nosso viver cotidiano, ainda como humanos que somos, muitas vezes em nosso viver “economizamos” o nosso amor. O amor é um sentimento de tamanha intensidade que ainda nos estranha, talvez porque somos tímidos diante da intensidade dele. Ser amoroso é ser pleno de si e ser a plenitude do ser que somos. Mas, viver a plenitude de nosso ser, ainda nos causa uma certa estranheza. Pura bobagem! Podemos e devemos viver o AMOR que habita nossa alma, o Amor que nos faz ser o humano que somos. Amar é coragem, é humildade, é simplicidade, é grandiosidade. É alegria que contagia.

Abraços  ****

Vivi

DECISÕES A SEREM TOMADAS

“Cabe a cada homem decidir se caminhará à luz do altruísmo criativo ou pelas trevas do egoísmo destruidor.” Martin Luther King.  A decisão é pessoal e simples, mas, exige determinação, clareza, discernimento, compromisso. Todos nós somos benevolentes, basta apenas querermos praticar a benevolência, que já possuímos pela herança evolutiva, em cada momento do nosso viver. Quando uma pessoa se torna bondosa, o mundo todo se beneficia com a bondade. Um simples ato de bondade, afeta todos os seres. Decida!

Abraços   ****

Vivi

MAIS QUE UMA REFLEXÃO …

“ Enquanto perdurar o espaço, e enquanto houver seres, possa eu nele também permanecer para dissipar o sofrimento do mundo.” Shantideva, mestre budista do século VII. Será que o viver humano poderia ser pautado pelo caminho da benevolência ativa, em todos espaços vividos pela pessoa humana? O potencial existe, precisamos apenas acessá-lo na prática do viver e do conviver, a cada dia e em todos os momentos, afinal não existe vida sem relação. É a relação que alimenta a vida e o viver humano. Criar espaços relacionais salutares, é viver a sabedoria do respeito mútuo.

Abraços   ****

Vivi

ETAPAS DA VERDADE

“Toda verdade atravessa três etapas: primeiro, ela é ridicularizada. Em seguida, ela enfrenta uma forte oposição. Depois, ela é considerada como tendo sido sempre uma evidência.” Arthur Schopenhauer O novo assusta, gera insegurança, mas, é curiosidade, a vontade de olhar em amplitude, a vontade de ver adiante e além do tempo, que muitas pessoas ao longo da história humana trouxeram a luz do conhecimento e da indignação, que permitiu avanços na humanização do ser humano. É e tem sido a coragem de alguns, que tem aberto os portais da consciência, da inteligência, da sabedoria e da espiritualidade humana.

Abraços   ****

Vivi

CORPO COM ALEGRIA

Onde vive o “eu” de mim mesmo?  Onde está a pessoa que cada um de nós humanos somos? Onde está presente a identificação desta pessoa que se denomina como si própria? Onde habita este ser que chamo de “eu”? Quem vive a intimidade de si mesmo? Onde é vivida esta intimidade singular do si próprio?  Muitas são as perguntas que muitos pensadores tem feito ao longo de nossa história comum.  Humanos vivos, somos um corpo, herdado e construído, que tem histórias, experiências, conhecimentos, talentos e habilidades, memórias. Somos um corpo vivo em permanente construção de si. Fazemos corpo, fazemos corpos, fazendo histórias.  Fazemos o nosso corpo biológico dentro de um organismo vivo. Temos uma consciência que se percebe sendo testemunha de si mesmo. Somos cultura, somos ambientes. Somos emoção e afetos. Somos quem somos, em muitos “quens” de si mesmo.  Somos alegria e tristeza, conquistas e perdas,  somos sabedoria viva. Somos amor e compaixão. Somos potência.  Somos processo. Somos beleza. “ O Corpo não é  uma máquina como nos diz a ciência. Nem uma culpa como nos fez crer a religião. O Corpo é uma festa.” Eduardo Galeano

Abraços   ****

Vivi