QUE PESSOA EU QUERO SER ?

O filósofo grego Epicteto aconselha: ” Antes de mais nada, decida que espécie de pessoa você quer ser. Quando isso estiver resolvido, aja de acordo com a sua decisão em tudo o que você fizer.” Se eu não souber, se eu não tiver clareza daquilo que eu quero e da daquilo que eu não quero em minha vida, estarei permanentemente em desassossego na vida. Nutrir e renovar compromissos pessoais, é fundamental em nosso viver. Precisamos ter direção em nossa vida. Todas as escolhas que fazemos e direções que tomamos em nossa vida, estão e estarão sempre fundamentadas nos valores pessoais que norteiam a minha vida. Avaliar-se com atenção, no sentido de acertar as rotas na vida, permite maior equilíbrio, caso contrário estaremos tomados por distrações e confusões que nos atormentarão em nosso cotidiano. O fundamento da Ética é: “não cause danos a si próprio, nem a ninguém”. Para tanto, é preciso saber que pessoa quero ser na vida.Toda avaliação exige respostas, que exigem clareza prática na pergunta : o que eu posso ser? e exige ainda uma clareza na pergunta de ordem moral: o que eu devo ser? São questões fundamentais para a uma existência humana com dignidade, sentido e significado Ético.

Abraços   ****

Vivi

PENSAR – TODO CUIDADO É POUCO

Será que, quando os pensamentos aparecem em nossa mente, paramos para perguntar sobre a qualidade destes pensamentos que estão sendo pensados? Será que me envolvo nos pensamentos, um após o outro, sem me perceber do conteúdo daquilo que estou pensando? Será que, simplesmente vou pulando exaustivamente de um pensamento para outro, sem nenhuma percepção do que está acontecendo comigo? Será que já me perguntei quando me sinto cansada, se é porque penso e penso em avalanches, sem um segundo de pausa para a minha mente? Sabemos que a nossa mente pensa e que os pensamentos querem ser pensados, mas, tenho eu arbítrio sobre eles? Sou capaz de escolher o que penso? É muito importante lembrar que, o corpo vivo não sabe distinguir entre perigos reais e imaginários e reage a ambos, com o reflexo de luta e fuga. Portanto, estar atento ao que pensamos, à qualidade dos pensamentos que abrigamos em nossa mente, pode evitar as respostas biológicas frente à sensação de vulnerabilidade, que tantos transtornos metabólicos,psíquicos, relacionais podem trazer ao nosso viver cotidiano, à nossa saúde física e mental. Esteja Atento!

Abraços    ****

Vivi

NUTRIR A POTÊNCIA

A psicologia positiva sustentada pela neurociência, pela biologia molecular, pela antropologia, tem sinalizado que o caminho a ser percorrido, é o caminho da potência do ser humano. Deixarmos de alimentar as carências, a dimensão patológica do humano e nutrir a potência, a capacidade de transformação do humano, tem sido apontado pela psicologia positiva como um caminho de florescimento do humano. Trazer para a pessoa aquilo que ela tem de melhor, o seu potencial, os dispositivos internos que todo ser humano possui, para a saúde do corpo e da psiquê, da sua vida afetiva e relacional, deste humano inserido em seu grupo de pertença, neste mundo, na cultura e na natureza.  Ao fazer contato com o seu potencial de transformação, a pessoa pode conectar-se com a sua liberdade. Não somos obrigados a viver aprisionados por nossas carências. Toda pessoa humana pode florescer e ser, o seu melhor. Não somos escravos de nossos genes ou de uma cultura. Somos sim, seres que podem se transformar para uma vida de liberdade, de responsabilidade, de consciência da nossa coexistência, onde cultura e natureza não estão separadas. Coexistimos, todos neste planeta entre todos os humanos. O respeito e a responsabilidade advém da capacidade de nutrir a consciência do imenso potencial humano, da potência da vida nos seus milhões de anos de sabedoria.

Abraços    ****

Vivi

 

ÉTICA – UMA PRÁTICA A SER PRATICADA

“A ética é uma ciência prática para a pessoa atingir os seus fins como ser humano.  A sua ética dependerá, então, de sua antropologia e de sua metafísica. Quando nunca se ouviu falar de antropologia e de metafísica, a ética não será nada mais do que um conjunto de slogans destinados a simplesmente justificar a conveniência.” Com esta reflexão, Thomas Merton,  apresenta a importância da ética no viver cotidiano, como uma relação direta à clareza de propósitos e sentido do viver humano, a ser vivido, corporificado,preservado, no pensar, no sentir e no agir e em todos os âmbitos do ser humano. Portanto, a educação ética, ou a educação para a ética, é algo que está além da informação, além da lógica formal, ela é muito mais abrangente, ela é conduta e escolha em liberdade, pela consciência, na coragem de dizer “sim” ou dizer “não” para si próprio e para o mundo, sempre que necessário.

Abraços   ****

Vivi

POR ONDE ANDA A ÉTICA ?

Esta é a pergunta que muitos pensadores já fizeram e todos aqueles que estão honestamente comprometidos com a reta conduta, com o caráter, com a preservação dos valores universais, acredito que estejam fazendo neste contemporâneo. Então, por onde anda a ética? Será que está apenas nos livros de filosofia, em alguma biblioteca, ou será que ainda poderemos ter a esperança que esteja na mente, no coração e na conduta da pessoa humana? Então o que é a ética, tão necessária e urgente de ser vivida na prática cotidiana, em tempos onde as pessoas estão confusas e sem direção? A Ética como uma ciência prática, deve trazer clareza aos fins do ser humano, na plenitude de sua humanidade. Qual é a responsabilidade  do ser humano frente à necessidade de liberdade no viver-junto? Para sermos livres é preciso ser ético, pois é a ética que oferecerá a conduta necessária para o conviver no respeito responsável do ser livre. A ética  está na prática do viver e conviver. É ela que poderá garantir a plenitude do humano a partir do compromisso consciente de escolher a preservação da boa conduta em favor de todos e não na conveniência de alguns. A ética não aceita privilégios. A ética é para aqueles que tem a coragem de se ver, se reconhecer, refletir, de ser honesto e verdadeiro consigo para o ser com todos. Por onde anda a ética? Talvez caberia a pergunta: por onde anda a responsabilidade, o respeito, a coragem, a honestidade? Será que as decisões internas de cada pessoa humana é capaz de afastar o cinismo para acolher a verdade? Só a ética é capaz de abraçar o amor humano.

Abraços   ****

Vivi

 

AUTOESTIMA

É inquestionável a importância da preservação da nossa autoestima. Todos nós, pessoas humanas, vivas, gostamos de nos sentirmos bem a nosso próprio respeito e de sermos valorizados pelos outros. Contudo, é igualmente importante o reconhecimento de que todos nós temos falhas e dificuldades ao longo de nossa vida. Quando temos clareza destes aspectos, somos capazes de lidar melhor com as frustrações. Todos nós temos os nossos projetos de felicidade, mas, precisamos estar atentos às expectativas, que nos tornam vulneráveis às decepções. Quando a autoestima está vinculada às condições que colocamos para projeto de realização que colocamos em nossa vida, a boa autoestima pode se tornar baixa autoestima pelo sentimento de desapontamento. Ter consciência destes pulsos é fundamental, caso contrário o orgulho ou a vergonha podem nos acometer. Há um provérbio da filosofia zen que evidencia esta gangorra, ou a dialética do ego: ” As pessoas que se sentem pequenas cortam as cabeças dos outros para se sentirem maiores.”

Abraços    ****

Vivi

INGREDIENTES PARA A TRANSFORMAÇÃO

Fazer mudanças não é fácil, todos nós sabemos disto por experiência própria. Mudar espaços físicos e psíquicos, “limpar armários” externos e internos, demanda determinação e firme propósito. Mudar hábitos, comportamentos, atitudes, padrões mentais, requer determinação, clareza e firme propósito. Quando reconhecemos que precisamos mudar, pois as experiências do viver nos tem mostrado que estamos sofrendo com esta forma de ser, começa o processo de transformação. A grande dificuldade é a falta de percepção e com ela a humildade, para reconhecer e querer transformar. As pessoas não conseguem ter a clareza perceptiva para reconhecer que aquela atitude, hábito, comportamento está lhe causando malefícios para a sua saúde física, psíquica e relacional. Muitas vezes a prepotência ou a preguiça impedem a vontade. Coragem, honestidade e capacidade para refletir sobre si mesmo, são as condições indispensáveis para a compreensão e a transformação. Este não é um caminho para os fracos. Toda mudança demanda força interna. Todas as pessoas trazem consigo o potencial para a transformação, para a mudança, ninguém está condenado ao sofrimento ou à infelicidade. O ser humano é um ser de liberdade, é livre para escolher e tomar decisões, assim como é responsável por suas escolhas na vida e as consequências de suas escolhas. A conquista de si mesmo, é a maior conquista que uma pessoa pode fazer em sua vida.

Abraços    ****

Vivi

FONTES DO BEM-ESTAR

Cultivar diariamente, momento a momento, a virtude, a atenção plena e o bom senso, pode nos conduzir ao desenvolvimento psicológico e à nossa realização pessoal. Estes três pilares, tem sido considerado as fontes para o bem-estar. Toda pessoa humana é virtuosa, ela dispõe em si mesma as qualidades para uma vida saudável em todas as dimensões do humano, ela já traz consigo na sua natureza, a potencialidade da excelência do ser. As virtudes estão disponíveis mas, é preciso se conectar a elas, se a pessoa assim o quiser. Para tanto, é preciso atenção plena, capacidade de vigilância introspectiva, pois os ambientes e as memórias podem propiciar situações onde o desvirtuamento nas distrações, podem nos conduzir por caminhos insalubres. Bom senso e discernimento, andam de mãos dadas com a atenção plena no ser virtuoso. Virtuoso, é aquele que se disponibiliza a ser verdadeiro consigo e com o mundo, é capaz de se reconhecer nas suas excelências e nas suas mazelas e ainda escolher os caminhos que façam florescer no melhor de si mesmo. Virtuoso, é aquele que se disponibiliza na sua coragem, a percorrer o processo de seu crescimento pessoal, de aprimoramento pessoal, através de escolhas que o façam melhor juntamente com todos ao seu redor. Todos nós temos o projeto da felicidade. Todos querem ser felizes mas, é preciso saber escolher os caminhos da verdadeira felicidade, da felicidade genuína. Alimentar as fontes do bem-estar, é um compromisso pessoal, um compromisso ético.

Abraços    ****

Vivi

TUDO COMEÇA NO CORPO

Onde estão os nossos sentimentos? Onde sentimos nossas emoções? Por onde pensamos? Como sabemos que pensamos, sentimos, emocionamos? Quem sente fome ou sede, frio ou calor?  Todas estas expressões acontecem em nossos corpos. É através dele que a vida pulsa, que aprendemos, que nos comunicamos, interagimos com o mundo. O corpo vivo está em permanente mudança, transformação, conectividade, afetando e sendo afetado pelo meio, e pelos nossos sentimentos, emoções e pensamentos. Estar próximos ao nosso corpo, ter intimidade no sentido de reconhecer suas vontades, seus desejos, aversões, indiferenças, seus gestos, seus modos de expressão, é estar presente na corporeidade viva da vida. O humano precisa de uma identidade. Conhecer e se reconhecer num corpo vivo, é fundamental para a maturidade psíquica, afetiva, intelectiva,relacional e espiritual. Quanto mais nos distanciamos de nossos corpos, mais distantes ficamos da consciência viva.  Saber se autorregular, saber se flexibilizar somaticamente e psiquicamente, é de fundamental importância pára uma vida saudável. Quanto mais nos agitamos, mais ansiosos e portanto, mais distantes de si. A calma, pode trazer o bom senso. É o silêncio perceptivo que irá permitir o reconhecimento de si, sem o qual impossível saber de si para escolher, decidir, preservar e preservar-se.

Abraços    ****

Vivi

QUEREMOS O QUE QUEREMOS

Ao longo de nossa história as experiências do nosso cotidiano tem nos feito, por processos biológicos e culturais, querer o queremos. Enquanto nossos planos e projetos futuros se realizam, enquanto experimentamos o prazer daquilo que queremos, estamos felizes. Quando algo nos ameaça, na possibilidade de não conseguirmos o que queremos ou, a não possibilidade de evitar o que não queremos, a frustração, o desânimo e até mesmo raiva aparecem em nosso viver. Há momentos que muitos adultos se parecem como crianças mimadas e rebeldes, pois se colocam neste espaço do desejo do prazer e da aversão à dor. Queremos sentir prazer sempre. Enquanto sentimos prazer dizemos que somos felizes. Qualquer desconforto ou possível ameaça, a impaciência, a agitação, a ansiedade, tomam conta do nosso ser e não conseguimos perceber toda esta teatralidade que se instala e nos adoece. A inconsciência destes jogos mentais,geram inúmeros sofrimentos para a saúde do corpo, da alma e de nossas relações. Somos capturados por uma ridícula infantilidade. Desenvolver a consciência e a compreensão de que o prazer como o desconforto fazem parte da vida e o que precisamos é saber interagir com eles, reconhecendo-os para transforma-los para uma maturidade sadia, é a nossa virtude. Compreender sem julgar e apenas reconhecer o funcionamento da nossa mente, requer silêncio perceptivo, afinal tudo na vida tem um ciclo de nascimento, crescimento e morte ou transformação. Assim como o prazer passa a dor também é transitória, a questão é saber lidar com os estados mentais, alimentando espaços internos de discernimento em clareiras de paz.

Abraços    ****

Vivi