QUEM AMA A SI MESMO ….

Quem ama a si mesmo jamais poderá prejudicar alguem. Esta reflexão tem sido apresentada por pensadores e religiosos, sendo recorrente em vários textos. Parece ser tão óbvia se lembrarmos da regra de ouro: “não faça ao outro aquilo que não gostaria que fosse feito com você”,mas ainda tão distante da factualidade. Muitos falam do Amor mas poucos parecem entender e viver o amor, o respeito mútuo, a amabilidade.Sabe-se perfeitamente que falar é fácil o difícil é viver e sustentar nas ações o que se fala, ser responsável.Acredito que ainda não sabemos amar verdadeiramente a nós mesmos, ainda não sabemos nos respeitar e portanto não podemos amar e respeitar o outro. Enquanto vivermos na condição de “eu-isto” estaremos no lugar do controle e da exploração. Só poderemos amar e respeitar o outro e todos os outros se conseguirmos sair desta armadilha de coisificação e construirmos espaços relacionais de “eu-você” como propunha Martin Buber.É na relação dialógica do “eu-você”, no diálogo, na proximidade da humanidade pessoa-pessoa, que poderemos estabelecer relações humanizantes, amando a si mesmos para poder amar o outro sem jamais querer prejudica-lo. Experimente amar e respeita a si e a todos os outros, humaniza e nos faz feliz.
Abraços ****
Vivi

EMPATIA E SAÚDE EMOCIONAL

Empatia – Simpatia – Antipatia , palavras que expressam diferentes formas de relação. A capacidade empática, a capacidade de se colocar no lugar do outro no sentido de poder melhor compreende-lo, compreender seus jeitos e modos,abre espaços de possibilidades altamente agregadoras, que aproximam e vinculam. Disponibilizar um espaço interno para receber o outro na sua diferenciação,ver o outro dentro da sua particular expressão e abrir caminhos conectivos e facilitadores da relação é viabilizar a humanização de si e do outro. Cultivar um senso de conexão com os outros na prática de se colocar empaticamente no lugar dos outros, é cultivar a Saúde Emocional de ambos. A empatia permite superar o sentimento de isolamento e solidão, mas requer cultivo, determinação amorosa, uma ação de afeto deliberada, é uma prática e portanto uma experiência de si. A Empatia é a base comum da Compaixão e da Sabedoria.
Abraços ****
Vivi

SOFRIMENTO E ALEGRIA, JUNTOS !!!

Como pensar sofrimento e alegria juntos, é possivel? Em que lugar eles podem se encontrar? Num primeiro instante parece ser incompátivel admtir que o sofrimento possa estar próximo da alegria, pois são antagônicos. Ocorre que negar o sofrimento é fechar-se para a alegria. Só poderemos viver plenamente a alegria, a satisfação, o contentamento se pudermos reconhecer e fazer contato com o que possa impedir que estes sentimentos verdadeiramente ocorram. Ao reconhecer o sofrimento, as insatisfações,tristezas, inquietudes, teremos a possibilidade de encontrar as causas geradoras destes sentimentos que impedem a felicidade genuína. Ao reconhecer as causas teremos a possibilidade de transformá-las para podermos trilhar o caminho que da felicidade,da alegria salutar. Negar o sofrimento é fechar-se para a alegria. Reconhecer o sofrimento é abrir espaços para viver a felicidade genuína do pleno contentamento, é a sabedoria do coração manifesta.
Abraços ****
Vivi

… MAIS OU MENOS …..

Existem algumas coisas que são feitas mais ou menos, por relapso, desatenção, pouca motivação, desinteresse, permanecendo na superficialidade: comer mais ou menos numa reifeição rápida, relatar um filme mais ou menos pelo torpor da presença e consequente esquecimento,saber das notícias por não ler corretamente e/ou não ouvir atentamente,nadar mais ou menos pela ausência em algumas aulas de natação, em fim algumas coisas são feitas mais ou menos sem perceber e continua-se nesta desconexão.Porém há instâncias na vida que o mais ou menos não cabe,pois abstrai completamente a vitalidade. Digo isto porque não consigo entender que se possa amar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, orar mais ou menos. No amar não cabe o mais ou menos assim como na amizade, na oração. O amor, a amizade, a fé são instâncias para serem vividas integralmente, plenamente. Penso que se tivermos a coragem de amar, ser amigo e viver a espiritualidade na plenitude, certamente poderemos nos alimentar,nos relacionar com as pessoas e com o nosso corpo e em tantas outras dimensões do nosso ser com mais integridade. Realizar-se é ser capaz de amar, ser capaz de ser amigo e ter amigos é ser capaz de viver na mais profunda e sincera intimidade da alma.
Abraços ****
Vivi

Co-operar fazendo redes

Somos parte da rede social,vivemos e convivemos nas redes que vão se constituindo. Se co-operarmos no processo de construção das redes nos sentimos parte e pertencentes. A competição gera o sentimento de não-pertença.Desagregar-se das redes demanda esforço para suportar o isolamento. O desafio constante é permanecer conectado e conectando-se, prosseguindo no processo do viver com o outro e todos os outros sem abdicar dos valores universais e da ética.A cooperação requer maturidade, requer posturas agregadoras, conciliatórias, viabilizando o fluxo permanente da vida pelos canais de passagem. O humano vivo se constitui e se forma através das múltiplas redes do tecido social e aqui vivemos a diversidade nas suas mais variadas formas de expressão. Saber incluir e funcionar na diversidade para continuar tecendo a rede conectiva, talvez seja o grande desafio das relações de convivência e que ainda temos muito a aprender. Porém se pudermos cultivar o espírito de respeito, compreensão e co-operação , acredito que a vida poderá ser vivida com mais potência,alegria e prazer.
Abraços ****
Vivi

QUEM ESTOU ME TORNANDO?

Vida é movimento. Fazemos corpo e nos transformamos contínuamente.O projeto do corpo ao nascer é crescer e maturar para chegar à forma adulta, ao adulto alfa e ao adulto maduro. No processo do vivo e de construção de si mesmo passamos por inúmeras transformações fisisológicas,como a hormonação e transformações psiquícas na direção da maturidade, deixando as formas imaturas, infantilizadas para selecionar formas cuja funcionalidade seja mais agregadora, mais conectiva na singularidade pessoal e nas relações com os ambientes e acontecimentos, afetando e sendo afetado.Neste contínuo existencial estamos deixando formas somáticas e nos tornando outras formas somáticas e relacionais. Quem estamos deixando de ser e em quem estamos nos tornando?Será que estamos seguindo na direção da construção de formas e camadas mais adaptativas,permeáveis e ética ou estamos trilhando caminhos repetitivos, automatizados a serviço dos modismos que se alternam conforme as conveniências sociais? Sinta, capte-se, peceba,faça contato com seu corpo e com a vida, olhe-se com coragem e alegria, pois ser um adulto maduro, potente é realizar-se com alegria e felicidade genuína.
Abraços ****
Vivi

CORPO IDEALIZADO

O que significa um corpo idealizado? Qual é a imagem que temos do nosso corpo? Como convivemos em nosso corpo? Habitamos o nosso corpo ou nos sentimos estranhos a ele? O que é real e o que é ideal em nossos corpos vivos, humanos? Não temos um corpo mas somos um corpo vivo, então será que conheço e reconheço o corpo que eu sou? Qual é o grau de intimidade que tenho em meu corpo? O nosso corpo não é um ojeto no espaço mas um processo no tempo. O corpo humano vivo se faz a todo instante, está continuamente se fazendo corpo. Contudo se não habitarmos verdadeiramente este lugar físico, psiquico, emocional, relacional podemos ser capturados pela cultura e transformados em mercadorias a serviço do mercado, que explora, machuca,dilacera e ditatorialmente nos conduz conforme seus interesses que visam únicamente o lucro. Neste lugar perdemos a possibilidade de vivermos a maravilha que é o nosso corpo, não o corpo idealizado pela revista, pela mídia mas o corpo vivo e pleno, com a sua beleza única, o corpo-canal que livremente oferece passagem à vida. Cada corpo é único em todo este Universo, uma beleza ímpar, singular e divinamente sagrada.A beleza dos corpos vivos,em todas as suas fases, do nascimento à maturidade ao envelhecimento, são todos corpos expressando a potência viva, encantadora da vida.
Abraços ****
Vivi

WORKSHOP: BIOTERAPIA – quando mudar é possível

BIOTERAPIA – quando mudar é possível

Uma aprendizagem corporal, emocional, espiritual que permite mudanças, renovação e transformação. A saúde é um bem que todo ser vivo pode desfrutar. A saúde plena traz felicidade e prazer no viver consigo mesmo, com os outros e com a natureza.

Bioterapia é uma prática para o bem-estar-bem.

Vivi Tuppy – Psicopedagoga e Bioterapeuta com 30 anos de pesquisa e formação no Brasil e no exterior.

26 de junho 2010

Sábado – das 9h às 13h

R$60,00

Vagas limitadas – Inscrições até 25/06

Interação (18)3622.7053

Rua Graça Aranha – 1177 – Araçatuba/SP
[email protected]

SILENCIAR E PAUSAR

Em tempos onde o volume das vozes e sons cada vez são mais elevados, onde a agitação e a aceleração permeiam intensamente o nosso cotidiano, como encontrar alguns minutos de silêncio e pausa?
Falar em silêncio nestes dias parece coisa de maluco, pedir lentidão é se deixar ser atropelado pela multidão de forças, imagens, ruídos,exigências,urgências. Como se regular neste caos? Como se encontrar neste território onde tudo e todos parecem estar frenéticamente desorientados? Quem sabe poder perguntar já possa ser um caminho. Perguntar corajosamente para si, como se sente diante do agito em alta sonoridade e querer responder com honestidade para si mesmo e ouvir a sua resposta, já é um começo. A velocidade e o volume sonoro destes tempos certamente trarão consequências desagregadoras à vida, pois o tempo e o rítmo da vida saudável está com dificuldade de adequação, o que pode perfeitamente ser visto na proliferação das doenças psicosomáticas e na violência manifesta nas relações. Experimente parar e silenciar por um minuto que seja e sinta os efeitos em seu corpo, em sua mente e na sua sensibilidade. Acredito que não irá se arrepender.
Abraços ****
Vivi

MUDAR É POSSIVEL ?

A mudança faz parte do vivo. Todo ser vivo está em constante mudança, pois a vida é movimento e o movimento já é a mudança. A neurociência com o conceito de neuroplasticidade evidencia que o nosso cérebro está em constante mudança. Portanto aquela idéia de que “pau que nasce torto morre torto” já é obsoleta e todos nós temos a possibilidade de mudar. Fisiológicamente temos o dispositivo da mudança e psicológicamente será que a temos? Aqui entramos no território da escolha. Toda mudança requer tempo e tempo é escolha. As mudanças acontecem no tempo formativo de cada um e nos ambientes confiáveis. Quanto maior forem as relações de confiança que estabelecemos em nossos espaços relacionais maior é a possibilidade de mudança, mas ela existe e é possível sempre, desde de que queiramos mudar e aqui caímos no território novamente da escolha, que é absolutamente pessoal.Alguns desafios se apresentam para a mudança como os medos, a insegurança, os pré-conceitos, a rigidez estrutural, a ignorância mas todos estes desafios podem ser perfeitamente transpostos na medida em que confiamos em nós e na própria vida manifesta. Mudar além de ser possivel é uma dádiva. Se a mudança ocorrer na direção da dignidade da vida podemos ainda nos sentir mais potentes e com mais vitalidade para sermos melhores do que já somos, nesta existência.
Abraços ****
Vivi