TAL COMO UM PEREGRINO

O caminho do autoconhecimento se constrói a partir de uma longa jornada interior. Uma jornada pressupõe uma peregrinação e um peregrino, aquele ou aquela pessoa dentro de si mesma que sai em busca de sua realização, de sua felicidade, da alegria de viver. Quando surge o peregrino na alma, abrace-o e pergunte a ele(a): qual é a sua busca? Quais são os seus propósitos na vida? Uma peregrinação, seja ela qual for, no caminho interior ou no caminho exterior, precisa de um propósito. Percorrer um caminho de busca requer um saber. Nem sempre é possível ter clareza deste saber no início da jornada, mas o peregrino precisa manter-se ao lado das perguntas. Embora ainda não tenha as respostas, as perguntas guiarão a caminhada e as respostas, não as definitivas, mas, as do momento, surgirão.

Abraços   ****

Vivi

UM AGENTE QUE FAZ DIFERENÇA

Quando se fala em crescimento pessoal, em transformação pessoal, em maturidade, em ampliação de consciência, é necessário e salutar incluir a intenção ou as intenções. Com que intenção faço o que faço? Quais são as verdadeiras intenções? Existem as segundas intenções, aquelas do levar vantagem? O que realmente faz total diferença no viver, é ter clareza a intenção nas escolhas e decisões. São as intenções que direcionam uma mesma atitude para o bem ou para o mal. São as intenções que determinam uma trajetória de vida. Saber ou ter claro o que se quer verdadeiramente, é fundamental para uma vida plena e realizada.

Abraços   ****

Vivi

UM MUNDO MAIS PACÍFICO …

Muitas são as pessoas que almejam um mundo mais pacífico, com mais entendimentos e compreensões. Um mundo onde o diálogo respeitoso possa ser uma constante, de tal maneira que, mesmo nas diferenças as pessoas encontrem as vias da paz, do acordo, da concórdia e do bom senso com boa vontade. Este mundo sempre será possível, desde que, haja esforço pessoal para a sua realização. Longe de um ideal, mas, na abertura dos espaços internos para um conviver com a diversidade e as divergências, através de atitudes inteligentes de bom senso, respeito, responsabilidade e cooperação. Parece fácil, mas, não é nem fácil nem simples. Determinação, coragem, investimento pessoal no esforço contínuo para querer compreender com amorosidade empática e solidária, inclusive o inimigo, são elementos necessários para que as relações possam ser mais pacíficas e pacificadoras.

Abraços   ****

Vivi

LIBERDADE PARA ESCOLHER

Ser livre é também saber escolher as atitudes ao longo do viver. Cada pessoa é livre para fazer as suas escolhas, mas, não será livre diante das consequências geradas por uma atitude. Portanto, atenção! Cuidado sempre! Vigilância momento a momento, pois uma atitude desagregadora traz consequências inevitáveis e por vezes, irreparáveis. Somos livres para escolher mas, teremos que nos responsabilizar pelas consequências de nossas escolhas.

Abraços   ****

Vivi

 

 

MARAVILHAMENTO ….

O que faz a minha vida maravilhosa? Será que apesar dos desafios nós temos acalentado ações, atitudes, pensamentos, relacionamentos, que fazem a vida ser maravilhosa, através do sentimento de maravilhamento pela vida e pelo viver? A vida é a vida. Ela traz com ela a alegria e a tristeza. Uma consciência atenta pode reconhecer a dor, mas, também valorizar o encantamento. Cuidar de como vemos o que vemos, cuidar dos valores ou seja, do que valorizamos na vida, sempre será uma escolha pessoal.

Abraços   ****

Vivi

O QUE ESTÁ VIVO ….

O que está vivo em mim? Esta pergunta é fundamental pois, frente a tantos paradoxos, tantos desacordos, tantas violências e enfrentamentos, a desesperança facilmente pode se apropriar de nossa mente e nosso coração. Perder a esperança, é perder os sonhos, a alegria e com ela a vontade de viver. Então vem a pergunta novamente … o que está vivo em mim? Pode até ser a indignação mas, com ela deve estar a reparação. A indignação sem a reparação nos torna estéreis diante do  viver. O que está vivo em mim?

Abraços   ****

Vivi

 

 

O LINEAR E OS CONTORNOS

O pensamento linear das certezas e da rigidez programada tem evidenciado que, não se consegue chegar a lugar nenhum. A imposição insistente de regramentos que desconsideram os contextos e a dinâmica da vida, impede que toda a potencialidade do vivo se manifeste. A rigidez como a liberalidade descontrolada impedem as conexões. A não linearidade permite os contornos, ou seja, a capacidade de pensar e refletir em perspectiva e com ela a capacidade criativa. Saber contornar sem perder o eixo referencial do valor da vida e de tudo que vive com respeito e responsabilidade, tem sido fundamental para a saúde das relações pessoais e interpessoais.

Abraços   ****

Vivi

 

UM CONDICIONAMENTO MENTAL …

Muito dos nossos pensamentos que direcionam atitudes e narrativas, estão atrelados a modos condicionados aprendidos pela cultura. Uma das formas de pensar aprisionada em um padrão que se repete nas relações, sobretudo no âmbito educacional, é a promessa de recompensa e a ameaça de punição. Diante de situações conflituosas não é incomum que estas formas mentais condicionadas apareçam. Nas relações, ou se promete uma recompensa: “se você agir assim… eu te darei ….”  ou então, a ameaça  como uma punição: “se você não agir assim … você será punido com isto…” Sabemos perfeitamente que, nem uma nem outra maneira de responder a uma situação conflituosa é pedagógica. O medo não muda comportamento, nem a espera pelo prazer dos aplausos. Frente a um conflito, o mais importante é ter discernimento, bom senso e compromisso com a verdade, ou seja honestidade.

Abraços  ****

Vivi

AINDA A JUSTIÇA …

Sempre é bom lembrar que justiça não significa vingança de ressentimentos, ou vingança de ofensas, ou retaliações diante de um mal entendidos. A justiça só poderá ser justa a partir de um estado interno, de uma atitude pessoal comprometida com o bom senso, o equilíbrio, o equânime. O desbalanceamento descontrolado impede qualquer atitude de justiça. A justiça pressupõe um compromisso auto deliberado com o que é verdadeiro, com a verdade . É ter a verdade como um selo divino pessoal.

Abraços ****

Vivi

E A JUSTIÇA …

A justiça se faz e se constrói com pessoas justas. E o que significa ser uma pessoa justa? A justiça como virtude se estabelece a partir da prudência, da temperança e da coragem. Como toda virtude ou atitude virtuosa, a justiça começa com a polidez, que é a primeira de todas as virtudes. Para lembrar: virtude significa o melhor, a qualidade que uma pessoa porta em si mesma no que ela tem de melhor. Neste sentido, a polidez, a capacidade de ser polido, refinado ou “educado”, é fundamental para a sustentação de espaços internos e externos com prudência, temperança e coragem. Uma pessoa cujo comportamento é reativo, intempestivo, descontrolado, desgovernado, não polido, jamais será capaz de ser um sujeito justo, pois estará sempre à mercê de suas reações emocionais destituídas de bom senso, de elegância, de equilíbrio, ponderação, e portanto, de justiça.

Abraços   ****

Vivi