O CORPO

Negar o corpo é negar a vida! O nosso corpo durante longo tempo na história humana foi negado e desconsiderado, entendido como o local “do pecado”. Contudo, sabemos perfeitamente que, no corpo está a fonte da potência, dos pulsos e das pulsões, do pensamento e da sensibilidade, dos impulsos e das memórias, das intensidades e da vontade. Conectar-se ao corpo, habitar um corpo, viver a sua corporeidade é reconhecer-se como sujeito vivo no mundo vivo. Somos corpos pensantes, que se emociona, que tem uma consciência, que traz toda a memória histórica da espécie humana e da natureza. Quanto mais próximos do pulso da vida estivermos, através de nossas conexões com o corpo vivo, mais plenos da potência vital poderemos nos sentir. Habitar um corpo, habitar uma subjetividade e uma intersubjetividade, pode ser um caminho de realização pessoal.

Abraços   ****

Vivi

VIVER ETICAMENTE!

Viver eticamente requer reflexão. Pensar e pensar bem, faz parte de uma vida ética. Pensar e respeitar acordos sociais, condiz com uma postura ética, com um sujeito ético. Viver eticamente, é ter a vida como um valor de primeira grandeza. É pensar e pausar para refletir com inteligência e delicadeza. A ética contempla o pensar, o sentir e o agir com respeito aos acordos consensuais e responsáveis. A ética contempla o bom senso, a boa vontade, a ponderação, a prudência, a coragem e com ela a humildade. O sujeito ético é atento e vigilante, é suave e firme, momento a momento, minuto a minuto.

Abraços   ****

Vivi

VIDA

A vida é simplesmente um grande jogo de forças e intensidades. Uma dinâmica em permanente pulsação, dotada de potência e múltiplas conexões. Vida não é planilha! Vida não é certeza! Vida não é lógica controladora em previsibilidades! Vida é vida. Se aceitarmos mudanças, impermanências, interconexões, fragilidades, contradições e soubermos nos manejar nestes mares, poderemos, nós humanos, viver a poética poesia que as intensidades vivas nos oferecem, criando e recriando-se a cada instante do viver. A vida é sempre um devir, um “vir a ser”.

Abraços   ****

Vivi

UM SILÊNCIO QUE RESGATA

Silenciar os pensamentos, acalmar os impulsos emocionais, estar consciente de si nos encontros consigo mesmo, com o outro e com o mundo relacional, pode ser nutrido quando o “coração” aprendeu a sorrir amorosamente. Sorrir com o coração é uma experiência do sentir, que pode acionar estados de contentamento amoroso e senso sublimação. Acalmar a mente com generosidade e compreensão, é acolher um coração bondoso. Saber silenciar é nutrir a sabedoria interior.

Abraços   ****

Vivi

 

 

 

FALAR DAS MÁSCARAS

Desprovidos de consciência de si mesmo, muitas pessoas andam por aí apenas representando seus papéis em seus personagens, através das máscara coladas na consciência. Sem consciência das representações, quem se relaciona e se movimenta com o mundo são as máscaras, aquelas formas que se repetem e se reproduzem no automatismo de um ser. As máscaras falam e mostram ao mundo os medos, as inseguranças, as fragilidades das pessoas que apenas reproduzem formas porque não conseguem interagir com imensa potência da vida. Descolar as máscaras das representações, é ter a coragem e a humildade de ser quem se é verdadeiramente.

Abraços   ****

Vivi

 

QUEM PODE EXPRESSAR O INDIZÍVEL?

Uma consciência atenta e amorosa, é a chave para a expressão de movimentos que podem expressar o indizível e o impensável. Uma consciência vigilante que preserva a sua afetuosidade, pode expressar o melhor de si mesma, com toda a potência e a vitalidade de sua vida. Uma consciência amorosa pode nutrir uma escuta amorosa, uma escuta poética, onde a palavra dança suavemente com a poesia do movimento. Todo movimento é rico de expressões e dizeres de uma consciência. Quando uma consciência preserva na sua intimidade o amor poético, o indizível e o impensável encontram os espaços mais belos para se manifestarem.

Abraços   ****

Vivi

DESLOCAR

Estar em movimento é saber se deslocar. A vida se mantém em seus deslocamentos, na dinâmica de seus fluxos, criações e recriações. Sábio é aquele que aprendeu a se des-locar, aprendeu a ampliar seu olhar, seu pensar, seus afetos para ir além do certo e do errado e poder sonhar e se encantar. A capacidade de se deslocar para se lançar ao novo, ao criativo, ao imaginário, ao lúdico, ao maravilhamento que a vida a todo momento apresenta ao humano, faz parte da experiência do sensível. Alimentar a sensibilidade é beber nas fontes da sacralidade da vida.

Abraços  ****

Vivi

AMADURECER

Pensar em processo é pensar em fluxos, intensidades e gradações. Pensar em processo é pensar em contextos, em circularidade e nunca em linha reta de sequencialidades previsíveis e controladoras. A vida é fluxo, é mutação é algo que está em permanente transformação. A maturidade humana comporta a compreensão dos fluxos vitais. A maturidade da pessoa humana inclui a incerteza.  Amadurecer é ganhar incertezas, é compreender a dinâmica natural da vida e do viver. Saber “suportar” as incertezas faz parte da sabedoria humana. Ambivalências, paradoxos, contradições, são elementos que compõem a psique humana. Estar atento e aberto à compreensão dos conflitos internos, é estar no caminho da maturidade, é estar disponível ao criativo.

Abraços   ****

Vivi

O MOVIMENTO

O movimento está no centro da experiência humana. Ele é construtor e sentido de uma existência quando ele pode ser vivido em toda a sua potencialidade.  O movimento vivido na gestualidade humana é construtor no espaço e no tempo das emoções, dos sentimentos, do pensamento, do imaginário e do simbólico. Um corpo que se movimenta, que se desloca no espaço, que se gesticula e se expressa com todo o seu ser, tem a potência da vida viva consigo mesmo, através da experiência de ser movimento.

Abraços   ****

Vivi

 

 

SILÊNCIOS …

Muitos são os silêncios … Existe o silêncio do silêncio, aquele onde as vozes sonoras parecem cessar. Existe também o silêncio que “grita”, aquele silêncio que guarda dentro de si mesmo as mágoas, as angústias, os ressentimentos, os medos e os desconfortos sem nome e sem palavra. Este silêncio clama em alto e bom tom por ajuda, por acolhimento, por uma escuta solidária e compassiva. O silêncio-que-grita precisa ser ouvido e para que ele não adoeça antes da hora.

Abraços   ****

Vivi