HOMEOSTASE

“…é um processo que regula a fisiologia humana por meio de mecanismos que possibilitam não apenas a nossa sobrevivência, mas também a prosperidade da vida” Antonio Damásio A capacidade de cooperar e colaborar de forma consciente e inteligente com o equilíbrio das relações, conciliando as contradições advindas de situações e sentimentos conflitivos, contribui para a prevalência da dinâmica homeostática da vida de todos seres vivos. Sensações de bem-estar e alegria, discernimento e bom senso, favorecem ambientes relacionais confiáveis e estáveis.

Abraços   ****

Vivi

O SENTIDO DA VIDA

Onde está o grande sentido da vida? Todas as tradições espirituais mostraram que o grande sentido da vida se encontra no esforço pessoal que cada pessoa humana deposita para beneficiar as outras pessoas, dentro do possível de cada um, dia após dia. O amor e o respeito para com o outro, começa com o amor respeitoso e pessoal. Quando cultivamos o amor e o respeito no interior de nosso ser, seremos capazes de amar e respeitar ao outro e a todos os seres.

Abraços   ****

Vivi

MUDAR O QUE PODEMOS MUDAR

Há instâncias na vida que cabe a cada pessoa mudar, como uma responsabilidade pessoal.  É da responsabilidade pessoal não gerar sofrimento nem a mim nem a ninguém, nem a nada que vive e convive neste mundo. O tempo passa independente da vontade pessoal, ele faz parte do fluxo vivo da vida. Ocorre que, muitas vezes a pessoas se fixam naquilo que não podem mudar, como o tempo, e negligenciam as coisas pelas quais são responsáveis. Cuide do pequeno, pois a morte e o envelhecimento não podemos evitar. Cuide dos pequenos viveres!

Abraços   ****

Vivi

O FLUXO DA VIDA

Por mais conhecimento que tenhamos, por mais posses e poderes que possamos ter à nossa disposição, por mais recursos tecnológicos e  informacionais e até mesmo conforto que tenhamos, ou ainda, por mais  desafios e circunstâncias por vezes sofridas que estejamos passando, somos incapazes de interromper o fluxo da vida. Fato é que, não podemos evitar o envelhecimento e não sabemos quando iremos morrer. A vida é como ela é. Se pudermos reconhecer as formas predatórias do apego possessivo e egoísta que tanto nos faz sofrer e ainda, gera tanto sofrimento ao nosso redor, talvez o fluxo inevitável da vida possa ser vivido com mais compreensão, gentileza, cordialidade e bondade amorosa.

Abraços  ****

Vivi

COMPREENDER A MENTE

É com a mente que pensamos e sentimos, fazemos escolhas e tomamos nossas decisões. Com a mente compreendemos o mundo, criamos nosso mundo e nos posicionamos no mundo. Com a mente vivemos nossas experiências de alegria e tristeza, de felicidade e sofrimento, de beleza e encantamento e de decepção e frustração. Com mente a vida que vivemos ganha sentido e significado ou se desorienta e se perde na escuridão. Conhecer a nossa mente, compreender o seu funcionamento pode ser a chave da liberdade pessoal, da felicidade interior, do contentamento e ainda, da superação dos desafios no viver e conviver.

Abraços   ****

Vivi

O CALMO

“ O calmo é certo. Comece certo e você estará calmo. Continue calmo e você estará certo. A maneira correta de ir com calma é, esquecer-se da maneira correta e esquecer-se de que a ida é fácil. ”  Chuang Tzu  A calma traz atenção e a atenção plena sustentada em valores humanos de valorização da vida, pode reconhecer que nem sempre a razão pode trazer a paz interior. Sem o bom senso e o verdadeiro Amor no coração, a razão se torna estéril. Seja calmo, observe-se e perceba onde está o seu verdadeiro coração amoroso.

Abraços   ****

Vivi

 

 

 

 

 

SERENIDADE

A serenidade da mente e do coração depende de um compromisso interno com a preservação da vida. Ser sereno, é ser vigilante ao pensar, ao sentir e ao agir. Serenidade não significa perder a alegria, os sonhos ou a espontaneidade. Ser uma pessoa serena, é ter a coragem de viver a alegria desprovida de conveniências. Uma alegria que nasce de um estado interno de compreensão, de bondade amorosa, de uma atitude interior que preserva a dignidade humana e a dignidade da vida.

Abraços   ****

Vivi

 SENSAÇÃO  DE  DESORIENTAÇÃO

Em meio a um ritmo altamente acelerado de disrupção tecnológica, diante de um sistema político que não consegue acompanhar as linguagens da tecnologia da informação, frente às mudanças institucionais onde os modelos já não atendem as demandas, a sensação de desorientação ganha contornos inimagináveis. Fica evidente a ação do coletivo sobre o indivíduo. A sensação de desorientação, paralisa, confunde, desorganiza, gera insegurança, gera desconfiança e até a perda de identidade. Quando as pessoas têm um modelo a seguir, de alguma forma sentem-se orientadas. Quando os referenciais norteadores perdem força, a sensação de desamparo, de incompetência, de fragilidade emerge, criando uma necessidade de urgência para obter um modelo a seguir. Estes cenários tendem a forçar estruturas rígidas como sendo a única solução para sair da incerteza, da sensação de desamparo. Quando a história chega neste capítulo, é necessário muita atenção para não se deixar enganar. A disponibilidade para entender e querer compreender com lucidez, é fundamental para encontrar as vias de orientação.

Abraços   ****

APENAS OBSERVE

Pare, pause, respire, se acalme e apenas se observe! Nada mais! Observe a si mesmo mas, apenas observe. Silêncio! Não julgue, não avalie, não crie expectativas, não espere nada, apenas e simplesmente se observe. Com uma mente clara e um coração amoroso, seja gentil consigo mesmo e apenas se observe, nada mais além disto. Aqui está um segredo que todas as tradições, do oriente e do ocidente, desde os tempos mais remotos, deixaram este legado de sabedoria à todas as pessoas que procuram a paz interior. Apenas se observe, siga a sua respiração sem julgar. Respire cordialmente, nada mais além disto!

Abraços ****

Vivi

 

 

 

SABEDORIA

“ … A perfeita sabedoria não é premeditada. A maior delicadeza é livre de qualquer formalidade. A conduta perfeita é livre de preocupação. O amor perfeito dispensa as demonstrações. A perfeita sinceridade não oferece qualquer garantia.” Chuang Tzu  Estas e tantas outras reflexões trazidas por Thomas Merton, um religioso dedicado ao diálogo entre as grandes religiões, apresenta as vias do encontro do humano em sua própria casa, a casa do silêncio interior. A simplicidade dos versos de Chuang Tzu, ultrapassam a linha do tempo. Pelo despojamento de si, pelo silêncio, pela humildade, o encontro com o divino mistério acontece. Ouvir é silenciar e silenciar, é a sabedoria do ouvir. É uma recusa à agressividade, à ambição, aos atropelos, à importância em demasia dada a si mesmo.

Abraços   ****

Vivi